UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

05/05/2010 - 20h36

Greve no Canadá continua afetando segmento de não ferrosos da Vale

RIO - A greve nas operações de níquel da Vale em Sudbury e Voisey Bay, no Canadá, continuam causando impacto negativo no segmento de minerais não ferrosos da companhia. No primeiro trimestre, as receitas do segmento atingiram R$ 2,983 bilhões, abaixo dos R$ 3,256 bilhões do quarto trimestre de 2009.

Segundo a mineradora, o efeito positivo de R$ 200 milhões causado pela elevação dos preços foi superado pela redução do volume de vendas, que teve impacto negativo de R$ 575 milhões.

"A Vale está executando planos para aumentar a produção de níquel nas operações que estão em greve", diz o balanço financeiro da mineradora, lembrando que em Voisey Bay foi retomada a produção da mina de Ovoid e da planta de processamento que fornece concentrado de níquel às operações em Thompson e Sudbury.

"Voisey Bay está operando em intervalos de duas semanas alternadamente. Em Sudbury, estamos operando as minas de Coleman e Garson, a planta de processamento de Clarabelle e um forno do smelter de Copper Cliff para a produção de óxido de níquel em matte destinado à nossa refinaria de Clydach com capacidade de 40.000 toneladas métricas de níquel", diz a empresa.

O principal mineral não ferroso no resultado trimestral da empresa foi o níquel, com receitas de R$ 1,236 bilhão, contra R$ 1,289 bilhão no quarto trimestre de 2009. Os volumes menores foram responsáveis pela diminuição da receita em R$ 246 milhões, enquanto o aumento do preço médio do níquel gerou impacto positivo de R$ 151 milhões.

Os embarques de níquel refinado foram de 34 mil toneladas métricas entre janeiro e março, uma queda de 17,1% na comparação com o quarto trimestre. A queda foi causada pelos estoques menores.

(Rafael Rosas | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host