UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

12/05/2010 - 13h28

Consumidor antecipa compra de carro com fim do IPI menor, aponta IBGE

RIO - O fim do benefício fiscal dado pelo governo no imposto sobre produtos industrializados (IPI) para automóveis, no encerramento do mês de março, fez com que houvesse antecipação das compras de carros. Isso impulsionou as vendas de veículos em 32,4% em março, na comparação anual. O resultado representou mais que o dobro do avanço verificado em fevereiro, de 16,1%.

De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), na série com ajuste sazonal, o avanço das vendas de veículos, motos e peças automotivas em março foi de 10,3% em relação a fevereiro.

"O resultado da atividade que representa os automóveis teve variação muito expressiva com o término da redução do IPI, porque os consumidores anteciparam compras, pois sabiam que, depois de março, os preços aumentariam. Houve antecipação de compra e aumento de receita das empresas. Isso se refletiu no resultado muito expressivo da nossa pesquisa", contou o técnico da Coordenação de Comércio e Serviços do IBGE, Reinaldo Pereira. O avanço impulsionado pelo IPI foi tão grande que o índice foi o responsável por 54% da elevação da taxa de vendas de todo o comércio varejista ampliado, que apresentou alta de 22% em março, na comparação anual, e de 5% ante fevereiro.

O setor precisa entrar no índice chamado ampliado devido à dificuldade de medição entre o que é de fato varejo e as vendas do atacado. Apesar da alta de 32,4% ter sido considerada muito forte, não foi o recorde da série histórica. Em novembro passado, o avanço registrado nas vendas de veículos havia sido de 37%.

O técnico do IBGE explicou que a forte oscilação das vendas foi reflexo da expectativa em torno da redução do IPI, já que o prazo chegou a ser diversas vezes ampliado. "Todas vez que se achava que o IPI iria acabar, as vendas cresciam ainda mais", disse Pereira.

(Juliana Ennes | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host