UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

12/05/2010 - 12h55

Europa não é obstáculo à Bolsa brasileira, diz Edemir Pinto

SÃO PAULO - O presidente da BM & FBovespa, Edemir Pinto, afirmou hoje, durante teleconferência a jornalistas, que está otimista para 2010, não apenas por conta do cenário econômico no Brasil, mas também devido à retomada da economia americana e à perspectiva de continuidade do crescimento da China.

Com relação à Europa, que enfrenta uma crise de dívida, ele afirmou que o continente não é obstáculo à bolsa de valores brasileira. "A economia europeia tem um peso pequeno no nosso sistema financeiro. Podemos ter algum impacto da crise europeia, mas pequeno. Além disso, o problema que eles estão enfrentando deve ser resolvido rapidamente. Não vejo obstáculos às operações da BM & FBovespa", disse.
"Acreditamos tanto na continuidade da evolução da bolsa brasileira que trouxemos para a companhia uma tropa de choque para desenvolver novos produtos e atuar em novos segmentos", acrescentou, referindo-se a contratações como a de Sérgio Goldenstein, atualmente diretor de Renda Fixa e Câmbio da BM & FBovespa.

"Recentemente, trouxemos o Sérgio Goldenstein, que possui longa carreira no governo, entende tudo sobre o mercado de renda fixa e é nosso especialista hoje que deve desenvolver essa área."
Na ocasião, Edemir Pinto também ressaltou que a expectativa da administração da companhia é de manter uma margem Ebitda de 70% nos próximos trimestres deste ano.
"Ao final do ano passado, anunciamos que esperávamos manter uma margem Ebitda em torno de 70%. Isso foi conseguido no primeiro trimestre e tudo indica que ficaremos até um pouco acima desses 70% daqui em diante", explicou. A margem Ebitda ficou em 72,9%, no período de janeiro a março.

A BM & FBovespa divulgou hoje que encerrou o primeiro trimestre de 2010 com lucro líquido societário de R$ 282,6 milhões, uma alta de 24,5% perante os R$ 227 milhões de mesmo intervalo do ano passado. Ajustado, o lucro líquido subiu 64,1%, indo de R$ 245,8 milhões para R$ 403,2 milhões.

Já o lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações (Ebitda, na sigla em inglês) marcou R$ 334,6 milhões, um crescimento de 89,3% em relação aos R$ 176,7 milhões dos três primeiros meses de 2009.

(Karin Sato | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host