UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

12/05/2010 - 11h31

Preços estáveis e maior renda puxam vendas do varejo em março

RIO - A força do mercado interno brasileiro foi o principal responsável pelo aumento nas vendas no varejo em março, de 15,7% ante igual mês de 2009. Foi o maior aumento da série histórica iniciada em 2001.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o ajuste sazonal da série mostra uma aceleração no ritmo de crescimento das vendas. Segundo o técnico da coordenação de comércio e serviços do IBGE, Reinaldo Pereira, a estabilidade de preços no setor alimentício elevou as vendas no varejo. Além disso, o aumento na massa salarial, com a ampliação da renda e queda no desemprego, também foi um fator de impulso.

O setor de hipermercados e supermercados registrou alta de 15,3% no volume vendido em março, ante o mesmo mês de 2009. Já na série com ajuste sazonal, o volume foi 0,8% menor que as vendas de fevereiro.

"O setor de supermercados apresenta estabilidade de preços. E por serem produtos de primeira necessidade, houve um aumento robusto da demanda, o que explica esse resultado", disse Pereira.

O resultado com o ajuste sazonal reflete o aumento pontual dos preços devido ao elevado volume de chuvas no Sul e Sudeste, regiões de peso expressivo no índice.

O aumento da renda teve reflexo também sobre as vendas de tecidos, vestuário e calçados, que apresentaram alta de 15,7% em março, em relação ao mesmo mês do ano passado. Na série sazonal, a ampliação foi de 1,5%.

Outro tipo de artigo bastante sensível ao nível de renda da população são livros, jornais e revistas, que tiveram aumento de 7,9% nas vendas de março, na comparação anual.

A maior alta foi verificada por equipamentos e materiais de informática, de 35,4% nas vendas. O avanço se deve, segundo Pereira, a uma variação de preços abaixo da inflação média da economia, que impulsionou, por exemplo, a aquisição de notebooks.

(Juliana Ennes | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host