UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

24/05/2010 - 12h29

Bovespa opera volátil, mas defende os 60 mil pontos

SÃO PAULO - A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) continua registrando oscilação nos negócios desta sessão, tendo em vista a falta de uma direção única do mercado externo e a agenda esvaziada de indicadores.

Próximo das 12h15, o Ibovespa, que já marcou mínima de 59.814 pontos e máxima de 60.733 pontos, recuava apenas 0,03%, para 60.242 pontos, com giro financeiro de R$ 1,687 bilhão. Na sexta-feira, o índice fechou a jornada em 60.259 pontos.

Em Wall Street, as bolsas operam sem direção única. Há pouco, o índice Dow Jones caía 0,68%, enquanto o S & P 500 declinava 0,47 % e o Nasdaq tinha valorização de apenas 0,04%.

"O investidor está com um cenário de indefinição, com o quadro externo conturbado e com riscos de arrefecimento maior da atividade, principalmente na Europa. O mercado segue procurando ativos de maior segurança, à espera de uma solução para um problema estrutural. A volatilidade deve continuar por muito tempo", comentou o economista-sênior do BES Investimentos do Brasil, Flávio Serrano.

O dia conta com poucas notícias e indicadores no cenário externo. Nos Estados Unidos, as atenções dos investidores se voltam ao mercado imobiliário, que mostrou dados melhores que o esperado.

De acordo com a Associação Nacional de Corretores de Imóveis do país (NAR, na sigla em inglês), as vendas de imóveis residenciais usados nos EUA registraram um aumento de 7,6% de março para abril, em bases ajustadas sazonalmente, para uma taxa anualizada de 5,77 milhões de unidades.

Já no continente europeu, depois da Espanha e de Portugal, hoje foi a vez do Reino Unido anunciar uma redução de gastos de mais de 6 bilhões de libras.

No setor financeiro, o Banco de Espanha fez uma intervenção no CajaSur e foi designado um administrador provisório para o banco, o Fondo de Reestructuración Ordenada Bancaria (FROB).

A medida, segundo a ministra da Economia e Fazenda da Espanha, Elena Salgado, foi tomada para dar um sinal de "firmeza, controle e solvência", conforme declarações à rádio Cadena Ser.

Já no cenário corporativo internacional, a IBM anunciou a compra da empresa de software Sterling Commerce, divisão da AT & T, por US$ 1,4 bilhão em dinheiro.
No Brasil, o destaque desta jornada parte dos papéis ON da OGX Petróleo que, há pouco, subiam 3,21%, a R$ 15,71, liderando a lista de valorizações do Ibovespa.

A empresa identificou a presença de hidrocarbonetos, gás e condensados, em uma das seções do poço 1-OGX-11D-SPS, localizado no bloco BM-S-59, em águas rasas da bacia de Santos.

Também apresentavam altas mais expressivas sobre o índice as ações ON da Telemar que, há pouco, aumentavam 2,50%, a R$ 32,80, e Cosan ON, com ganhos de 2,17%, a R$ 19,72.

Já as principais baixas eram lideradas pelas ações ON da CCR Rodovias, com queda de 1,26%, a R$ 35,94, por Lojas Renner ON, com depreciação de 1,12%, a R$ 43, e por Rossi Residencial ON, com recuo de 1,04%, a R$ 12,31.

Ainda no mercado brasileiro, o fluxo estrangeiro na Bovespa estava negativo em R$ 1,751 bilhão no acumulado do mês, até o dia 20, resultado de compras no valor de R$ 29,5 bilhões e de vendas de R$ 31,2 bilhões.
Apenas na quinta-feira passada, o estrangeiro colocou R$ 57 milhões no mercado. Apesar do movimento, o Ibovespa caiu 2,51% naquele dia.

No ano, o resultado da atuação do investidor internacional na bolsa brasileira está negativo em R$ 3,033 bilhões.

(Beatriz Cutait | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host