UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

24/05/2010 - 15h43

Confiança de empresários recua em maio, mas continua elevada, diz CNI

BRASÍLIA - Apesar de recuar 0,6 pontos sobre abril, o Índice de Confiança do Empresário Industrial (Icei) alcançou 66,3 pontos e ficou 7,2 pontos acima da média histórica em maio, que é de 59,1 pontos.

Dos 27 setores pesquisados pelo indicador da CNI, que mensura a confiança dos empresários no ambiente de negócios, apenas o de refino de petróleo acusou cautela sobre o crescimento da economia nos próximos meses. Pelo estudo, o otimismo dos industriais brasileiros permanece alto.

O economista da CNI, Marcelo Azevedo, avalia como natural a queda que se verifica nesse indicador desde janeiro devido a um conjunto de fatores. O primeiro deles é que o nível de otimismo dos empresários estava muito elevado por causa da recuperação econômica, depois houve mudanças de cenário, como a retirada de incentivos fiscais e a retomada do aumento da taxa básica de juros, para 9,25% ano.

Desde janeiro, o Icei da indústria em geral recuou 2,4 pontos, para 65,3 pontos no mês passado. Já a construção civil mantém o otimismo pela expansão continuada do setor, com o aumento de 0,3 pontos sobre abril, para 65,7 pontos.

O Icei varia de zero a 100, onde resultados superiores a 50 são considerados positivos e os abaixo desse patamar, negativos. O levantamento realizado com 1.543 empresas (859 pequenas, 475 médias e 209 grandes), entre 30 de abril e 20 de maio, apontou maior recuo na confiança de empresários dos setores de alimentos, couros, calçados, química, limpeza, perfumaria, material eletrônico e comunicação.

Para os próximos seis meses, o índice das expectativas registrou um recuo de 69,7 para 69,1 pontos em maio. Há menos otimismo entre os empresários tanto em relação à economia como no desempenho da própria empresa. A média histórica desse indicador é de 65 pontos, segundo a entidade.

(Azelma Rodrigues/Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host