UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

25/05/2010 - 15h46

Açúcar Guarani reverte prejuízo e lucra R$ 24 milhões na safra 2009/10

SÃO PAULO - A Açúcar Guarani reverteu o prejuízo líquido de R$ 205,2 milhões apurado no exercício de 2008/09, ao lucrar R$ 24,3 milhões na safra 2009/10, o que abrange o período de abril de 2009 a março de 2010.

Já a receita operacional líquida da empresa atingiu o recorde de R$ 1,36 bilhão no ano 2009/10, valor 16,1% acima do obtido em 2008/09 (R$ 1,17 bilhão).

"O aumento da receita decorreu da alta de 40,1% no preço médio do açúcar e de 14,4% no preço médio do etanol, sobretudo no segundo semestre de 2009. A receita de açúcar representou 67,3% da receita líquida total, enquanto as vendas de etanol foram responsáveis por 29,4%", assinalou a Guarani, em seu balanço.

O lucro antes de juros, impostos, amortização e depreciação (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado da Guarani quase dobrou no período, ao avançar 94,6%, para R$ 335 milhões na última safra. A margem Ebitda ajustado, por sua vez, cresceu quase 10 pontos percentuais, de 14,7% para 24,6%.

Ao fim de março deste ano, a dívida líquida da Guarani estava 14% superior à apurada no mesmo período de 2009, correspondente a R$ 1,145 bilhão, valor que inclui os mútuos de R$ 396,3 milhões com a Tereos. Segundo a empresa, o aumento foi gerado, principalmente, pela compra de 50% da unidade Vertente.

"A Guarani apresentou um desempenho sólido em 2009/10. Apesar das condições climáticas adversas no Centro-Sul do Brasil que prejudicaram a produção, os preços altos do açúcar durante a maior parte da safra, assim como, a demanda sustentada por etanol no mercado doméstico, possibilitaram à Guarani registrar uma receita líquida recorde, expressiva melhoria da margem Ebitda e ainda voltar a apresentar lucro líquido", comentou o diretor-presidente da Guarani, Jacyr Costa Filho.

Em termos de volume processado, a moagem de cana-de-açúcar praticamente se manteve a mesma no ciclo 2009/10, ao crescer apenas 0,2%, para 14,5 milhões de toneladas, o que representa um valor recorde para a companhia.

"Se somarmos o processamento da unidade Vertente, proveniente da recentemente anunciada parceria com o grupo Humus, o processamento de cana-de-açúcar da Guarani atingiu 16,1 milhões de toneladas", afirmou a empresa, em seu balanço.

A safra passada ainda mostrou uma redução de 7,4% do volume de etanol comercializado e uma queda de quase 8% da quantidade de açúcar vendida.

Há pouco, apesar da queda de 2,78% do Ibovespa, aos 58.246 pontos, os papéis ON da Açúcar Guarani subiam 0,77%, para R$ 3,92.

(Beatriz Cutait | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host