UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

25/05/2010 - 11h01

Aversão a risco cresce com tensão na Coreia e derruba Bovespa

SÃO PAULO - Um aumento generalizado da aversão a risco está tomando conta dos mercados nesta terça-feira. O crescimento da tensão entre a Coreia do Norte e do Sul está derrubando as bolsas mundiais e elevando a demanda pelo dólar.

No Brasil, em menos de uma hora de operações, o Ibovespa chegou a perder os 58 mil pontos. Por volta das 11h, o principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) recuava 2,93%, para 58.161 pontos, com giro financeiro de R$ 1,230 bilhão.

Já o Ibovespa futuro declinava 2,76%, para 58.385 pontos. Ontem, o índice fechou a jornada aos 59.915 pontos.

Em Wall Street, as bolsas também apresentavam forte queda. Instantes atrás, o índice Dow Jones recuava 2,24%, enquanto o Nasdaq se depreciava em 2,79% e o S & P 500 cedia 2,53%.

Apesar da agenda carregada de indicadores nos Estados Unidos, o foco dos investidores está no continente asiático.

As tensões na península coreana se intensificaram, após a Coreia do Norte ter acusado sua vizinha do Sul de violar sua fronteira marítima. De acordo com a agência sul-coreana Yonhap, a Coreia do Norte teria colocado seus exércitos a postos e ameaçado tomar medidas militares caso a Coreia do Sul continue invadindo suas águas.

Ontem, o presidente sul-coreano, Lee Myung-bak, declarou que seu país não iria mais tolerar atitudes da Coreia do Norte, citando um ataque em que 46 marinheiros da Coreia do Sul foram mortos.

Já na Europa, a expectativa recai sobre um anúncio de redução de gastos pela Itália. O governo apresentará seu plano para economizar mais de 20 bilhões de euros.

O pacote de dois anos pretende reduzir o déficit orçamentário e evitar um destino como o da Grécia, que teve de receber socorro de líderes europeus e do Fundo Monetário Internacional (FMI).

No cenário corporativo, diante da forte queda dos preços das commodities, as blue chips operam com perdas significativas.

Há pouco, as ações PN da Petrobras tinham desvalorização de 2,76%, a R$ 26,40, enquanto os papéis PNA da Vale cediam 2,33%, a R$ 38,87.

Entre as principais quedas do Ibovespa figuravam os papéis PNB da Cesp, que caíam, há pouco, 5,00%, a R$ 20,71, as ações PN do Itaú Unibanco, com desvalorização de 4,55%, a R$ 31,42, e Fibria ON, com recuo de 4,41%, a R$ 27,74.

Nenhum papel que compõe o índice operava em alta.

(Beatriz Cutait | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host