UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

25/05/2010 - 17h25

Bernardo propõe nova MP para garantir 6,14% a aposentados

BRASÍLIA - Para derrubar o reajuste de 7,7% aos aposentados do INSS que ganham acima de um salário mínimo, aprovado pelo Congresso Nacional, o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo propôs a edição de uma nova Medida Provisória. A MP garantiria o reajuste de 6,14%, em vigor desde janeiro. Mas, para não chocar com a primeira MP que fixou o aumento, o reajuste seria agora denominado de "abono".

Ao deixar há pouco o Ministério da Fazenda, Bernardo disse que fez a proposta ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Mas Lula ainda não tomou a decisão sobre se vetará ou não a mudança feita pelos parlamentares.

"Os 6,14% ficam garantidos na forma de abono. Pagos neste ano. E o governo que assumir ano que vem dá um tratamento pra isso", disse o ministro.

Bernardo deixou claro que Lula ainda não decidiu. "O Presidente vai ouvir outras pessoas; quer estar suficientemente informado para refletir", disse o ministro do Planejamento. Lula foi hoje para a Argentina.

O reajuste de 7,7%, equivalente a 80% da variação do Produto Interno Bruto (PIB) de 2008 mais a inflação medida pelo INPC, foi aprovado semana passada pelo Congresso. O governo quer dar apenas 50% do PIB.

A preocupação do governo é que 1,5 ponto percentual a mais ampliará os gastos da Previdência Social em cerca de R$ 1,7 bilhão este ano. Somente o aumento de 6,14% custará R$ 6,7 bilhões este ano, segundo o INSS.

(Azelma Rodrigues | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host