UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

25/05/2010 - 09h49

Bovespa deve ter início negativo com preocupação com Coreia e Europa

SÃO PAULO - A piora de humor dos investidores deve afetar negativamente o início das operações na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) nesta terça-feira. O aumento da tensão entre as Coreias deu um tom bastante negativo para os negócios na Ásia, o que tem embalado a queda das bolsas europeias. No Brasil, o mercado também deverá ser afetado pelos fatores externos e, há pouco, o Ibovespa futuro caía 2,57%, aos 58.500 pontos.

Ontem, o Ibovespa encerrou as operações com queda de 0,57%, aos 59.915 pontos, com giro financeiro de R$ 4,645 bilhões.

O crescimento da aversão a risco nesta jornada decorre da intensificação das tensões na península coreana, após a Coreia do Norte ter acusado a vizinha do Sul de violar sua fronteira marítima. De acordo com a agência sul-coreana Yonhap, a Coreia do Norte teria colocado seus exércitos a postos e ameaçado tomar medidas militares caso a Coreia do Sul continue invadindo suas águas. A notícia está elevando a compra de dólares e derrubando os mercados acionários, o euro e os preços de commodities.

Aliada à questão asiática, continuam as preocupações em relação aos bancos europeus, em especial os espanhóis.

Na agenda americana, destaque ainda para o discurso do presidente do Federal Reserve (Fed), o banco central americano, Ben Bernanke, que está no Japão.

Entre os indicadores que serão divulgados nos Estados Unidos, o Conference Board mostra a confiança do consumidor em maio, enquanto o Fed de Richmond apresenta a atividade industrial na região e a S & P Case-Shiller divulga os preços de imóveis em março.

Já na Europa, o departamento de estatísticas ONS divulgou nesta manhã que o Produto Interno Bruto (PIB) do Reino Unido teve expansão de 0,3% no primeiro trimestre deste ano, em relação aos três meses anteriores. O dado é ligeiramente melhor do que aquele apresentado inicialmente para o mesmo período, de crescimento de 0,2%.

Na Ásia, o aumento da tensão na península coreana e a piora do humor dos investidores com a crise na Europa derrubaram as bolsas. O Nikkei, de Tóquio, e o Hang Seng, de Hong Kong, caíram mais de 3%.

No mercado de câmbio, a moeda americana iniciou a jornada em forte alta e já atingiu R$ 1,917 na máxima do dia. Há instantes, o dólar comercial subia 1,93%, cotado a R$ 1,900 na venda. Já o contrato futuro de junho avançava 1,46%, para R$ 1,901.

(Beatriz Cutait | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host