UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

25/05/2010 - 19h20

Greve no Ibama adia leilão de seis hidrelétricas previsto para junho

BRASÍLIA - A greve dos funcionários do Instituto de Meio Ambiente (Ibama), iniciada em abril, atrasou em pelo menos um mês a realização do leilão de seis hidrelétricas previsto para junho. A informação é do ministro de Minas e Energia, Márcio Zimmermann, que pediu à diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para adiar a aprovação do edital com as regras da licitação.

"O leilão ficará para julho, talvez para início de agosto", afirmou Zimmermann, ao sair de audiência pública da subcomissão temporária do Senado criada para discutir a execução das obras de Belo Monte, no rio Xingu (PA).

Segundo o ministro, seria impossível lançar o edital de licitação sem a conclusão das análises do Ibama. Pelo menos, duas hidrelétricas da bacia do rio Parnaíba (PI/MA) ainda estão sem a licença ambiental prévia: Ribeiro Gonçalves, com 113 megawatts (MW), e Cachoeira, com 96 MW.

O leilão será voltado para hidrelétricas enquadradas como novos empreendimentos de geração com suprimento após cinco anos da licitação - denominado por leilão A-5.

Ao todo, a potência instalada das seis usinas será superior a 1,5 mil MW. Os outros quatro projetos são: Ferreira Gomes, no rio Araguari (AP), com 252 MW; Colíder, no rio Teles Pires (MT), com 342 MW; Garibaldi, no rio Canoas (SC), com 175 MW; e Santo Antônio do Jari, no rio Jari (AP/PA), com 300 MW.

Quando lançou a minuta do edital em consulta pública, a Aneel havia informado que o leilão seria realizado no dia 29 de junho. Hoje, o diretor da agência, Julião Coelho, retirou da pauta de deliberação da diretoria a aprovação do edital em razão de um pedido do ministério.

Sem a avaliação do Ibama sobre contrapartidas socioambientais, a Aneel está impedida estabelecer no edital o preço máximo da energia a ser negociada no leilão.

(Rafael Bitencourt | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host