UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

25/05/2010 - 18h04

Infraero vai instalar módulos nos aeroportos para aumentar capacidade

A Infraero vai investir R$ 5,4 bilhões até 2014 para preparar o país para o aumento da demanda por transporte aéreo que deverá ocorrer em função da Copa do Mundo (2014). A empresa planeja ainda gastar R$ 115 milhões na construção de 16 módulos operacionais provisórios (MOP), cujo custo é mais baixo e a instalação é mais rápida. O objetivo é ajudar a resolver os problemas de falta de capacidade nos terminais de passageiros.

Os módulos têm vida útil de 10 a 15 anos, mas poderão ser desmontados e transferidos para outros aeroportos. Trata-se de uma estrutura metálica, semelhante a modelos já usados nos Estados Unidos e no Canadá, para substituir, temporariamente, a ampliação dos terminais via construções civis. O primeiro aeroporto a receber um módulo foi o de Florianópolis, que já está em funcionamento. O aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, vai receber três módulos provisórios, de portes diferentes, que poderão ficar prontos em até seis meses a partir do início das obras. O aeroporto vai receber também investimentos definitivos. Cerca de 50% do Terminal 3 deverão ficar prontos até 2013, de acordo com o diretor de Engenharia da Infraero, Jaime Parreira.

O investimento inicial será num módulo remoto, em que o passageiro embarca no terminal já existente, toma um ônibus até o MOP para embarcar no avião. Esta unidade será entregue no final deste ano ou em janeiro de 2011 e vai agregar capacidade para mais 1 milhão de passageiros por ano. O custo será de R$ 12,5 milhões, para 6 mil metros quadrados de área montada. O segundo módulo ficará no antigo terminal de carga de Guarulhos e terá capacidade para mais 3 milhões de passageiros por ano, com 14 mil metros quadrados de área construída. O custo será de R$ 32,5 milhões. A expectativa é que as obras sejam iniciadas em fevereiro de 2011 e terminem em dezembro de 2012. O terceiro módulo provisório terá um custo de R$ 23,2 milhões, para elevar a capacidade do aeroporto em mais 2,5 milhões de passageiros. A previsão inicial é de que as obras dos mais de 10 mil metros quadrados vão de agosto de 2012 a abril de 2013. O diretor da Infraero explicou que os módulos provisórios não substituem os investimentos na expansão dos aeroportos brasileiros, mas garantem que o aumento da demanda seja atendido, já que são rápidos de implementar. Além disso, o custo é mais baixo. A estimativa de gastos é de R$ 2,5 mil por metro quadrado para a estrutura metálica, enquanto uma construção de alvenaria fica em torno de R$ 6 mil por metro quadrado. Dos investimentos totais de R$ 5,4 bilhões que serão realizados pela Infraero até a Copa do Mundo, a empresa vai arcar com 61% a partir de seus recursos próprios, enquanto a União vai bancar 39% do total. "A Copa é um evento pontual. O planejamento, inclusive com os módulos provisórios, não visa atender só à Copa, mas à demanda que já é crescente ao longo do tempo", disse Parreira. Ele frisou também que as estruturas temporárias não serão erguidas em áreas onde são previstas expansões para não atrapalhar as obras. Depois de algum tempo, a demanda é verificada novamente, e, a partir disso, será decidido se os MOPs serão levados para aeroportos diferentes ou serão mantidos onde foram montados. (Juliana Ennes/ Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host