UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

25/05/2010 - 10h59

Para presidente da CNI, Brasil pode e deve crescer mais

SÃO PAULO - O presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Armando Monteiro Neto, disse hoje que o Brasil deve e pode crescer mais. Apesar de destacar os avanços recentes, ele avaliou que "o nível da economia tem se revelado muito abaixo das necessidades, o que constitui grande frustração para os brasileiros".

Monteiro Neto discursou durante sabatina promovida pela CNI com os três principais pré-candidatos à Presidência, José Serra (PSDB), Dilma Rousseff (PT) e Marina Silva (PV). Novamente, o presidente da entidade reclamou da carga tributária, hoje em cerca de 34% do PIB. Mesmo assim, destacou que os empresários estão otimistas. "Nos últimos anos, tivemos importantes avanços: estabilidade, expansão da nova classe média, maior confiança na capacidade de crescer, mais inclusão social", afirmou Monteiro Neto, encerrando o discurso com uma mensagem de otimismo. "O Brasil vai caminhar nos próximos anos. Promovemos muitos avanços, isso tudo nos autoriza a ter maior ambição. O Brasil terá o tamanho das nossas próximas ambições." Durante o evento, o presidente da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), Robson Braga de Andrade, defendeu a aprovação das reformas política, tributária e da Previdência Social como um meio para que o país continue crescendo de forma sustentável. Já o presidente da Associação Brasileira de Celulose e Papel, Horácio Lafer Piva, cobrou redução da taxa básica de juros da economia. "Temos consciência de quanto os juros impactam na decisão de investimento do empresário." A sabatina continua com as exposições dos pré-candidatos. A primeira a falar será Dilma, seguida por Serra e Marina.

(Fernando Taquari | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host