UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

26/05/2010 - 12h21

Melhora do humor externo estimula recuperação da Bovespa

SÃO PAULO - A melhora do humor no mercado externo, diante da ausência de notícias negativas na Europa e de números mais favoráveis da economia americana, está contribuindo para o desempenho da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) nesta quarta-feira.

Próximo das 12h15, o Ibovespa, que alcançou 60.701 pontos na máxima do dia, subia 1,99%, para 60.361 pontos, com giro financeiro de R$ 2,83 bilhões.

Em Wall Street, no mesmo horário, o índice Dow Jones avançava 0,89%, enquanto o S & P 500 subia 1,14% e o Nasdaq tinha valorização de 1,54%.

Além de uma recuperação natural depois das quedas recentes, a melhora do mercado reflete números acima do esperado da economia americana.

No setor imobiliário, o Departamento do Comércio dos EUA revelou que as vendas de casas novas no país subiram 14,8% de março para abril, para uma taxa anualizada ajustada sazonalmente de 504 mil unidades.

Já no segmento industrial, houve um crescimento de 2,9% dos novos pedidos de bens duráveis nos EUA em abril. Este foi o quarto aumento nos últimos cinco meses e veio após uma ligeira baixa em março.

"Hoje, há uma melhora nas bolsas externas, com a ausência de notícias negativas sobre a crise fiscal na Europa, o que abriu a oportunidade para compras. Com esta trégua no front fiscal, os dados econômicos americanos acabaram com a atenção que geralmente têm", comentou a analista-chefe da Spinelli, Kelly Trentin.

Ainda contribui para a valorização do Ibovespa o desempenho das "blue chips", que ganhavam força com o aumento dos preços das commodities.

Instantes atrás, os papéis PN da Petrobras tinham elevação de 2,59%, a R$ 27,24, com giro de R$ 260,4 milhões, enquanto as ações PNA da Vale se apreciavam em 3,18%, a R$ 41,48, com volume negociado de R$ 411,2 milhões.

Os destaques positivos do Ibovespa partiam dos papéis PN da Bradespar, com alta de 5,25%, a R$ 34,85, das ações ON da Vale, com acréscimo de 4,30%, a R$ 48,73, e dos papéis ON da Cyrela Realty, com valorização de 4,26%, a R$ 18,84.

Na ponta oposta, entre as poucas baixas do dia, estavam as ações ON da Duratex que, há pouco, recuavam 1,18%, a R$ 15,02, os papéis ON da TIM Participações, com desvalorização de 0,74%, a R$ 6,70, e Natura ON, com depreciação de 0,43%, a R$ 36,65.

Fora do Ibovespa, destaque para os papéis da Telebrás. Minutos atrás, as ações ON da empresa subiam 5,29%, para R$ 1,79, enquanto os papéis PN se apreciavam em 5,76%, a R$ 1,65.

O presidente da Telebrás, Rogério Santanna, afirmou hoje que a atuação da estatal deverá interferir na "zona de conforto" da companhias de telecomunicações que se constituiu desde a privatização do setor.

Para o presidente da companhia, as empresas de telecomunicações estão acomodadas nos principais mercados do país onde dispõem de infraestrutura de rede e não buscaram a inovação e novos mercados.

Ainda no mercado brasileiro, o fluxo estrangeiro na Bovespa está positivo em R$ 2,212 bilhões no acumulado do mês, até o dia 24, resultado de compras no valor de R$ 32,6 bilhões e de vendas de R$ 34,8 bilhões. Apenas na segunda-feira, quando o Ibovespa recuou 0,57%, o estrangeiro retirou R$ 136 milhões do mercado.

No ano, o resultado da atuação do investidor internacional na bolsa brasileira está negativo em cerca de R$ 3,5 bilhões.

(Beatriz Cutait | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host