UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

26/05/2010 - 14h46

Sinalização de crescimento da economia mundial puxa bolsas europeias

SÃO PAULO - As bolsas europeias passaram por uma correção nesta quarta-feira, após uma sequência de baixas expressivas nos últimos dias. Investidores correram atrás de pechinchas, animados por sinalizações de crescimento da economia mundial.

Nos principais mercados, o CAC-40, de Paris, avançou 2,32%, aos 3.409 pontos; em Londres, o FTSE-100 subiu 1,97%, para 5.038 pontos; e em Frankfurt, o DAX fechou a 5.758 pontos, com alta de 1,55%.
Relatório divulgado hoje pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) mostra que atividade econômica está se recuperando mais rapidamente do que o esperado. Contudo, a volatilidade nos mercados da dívida soberana e o superaquecimento nas economias de mercados emergentes apresentam riscos crescentes para esta retomada.
O Produto Interno Bruto (PIB) dos países da OCDE deve crescer 2,7% este ano e 2,8% em 2011. Os dados são melhores do que aqueles contidos no documento passado, datado de novembro de 2009, quando era previsto crescimento de 1,9% em 2010 e de 2,5% nos 12 meses seguintes. Nos Estados Unidos, o PIB deve ter expansão de 3,2% tanto neste ano como no próximo. Na zona do euro, as economias devem avançar 1,2% agora e 1,8% em 2011, diz a entidade.

Os indicadores americanos também colaboraram para o otimismo do mercado hoje. As vendas de casas novas subiram 14,8% em abril na comparação com março, e 47,8% sobre abril de 2009. Já as encomendas de bens duráveis aumentaram 2,9% em abril. Foi o quarto aumento nos últimos cinco meses e veio após uma ligeira baixa em março.

As ações de commodities ficaram entre os destaques do dia, justamente pelo otimismo com o crescimento da economia mundial. BHP Billiton avançou 5,3%, Xstrata ganhou 5,7% e Rio Tinto disparou 7,3%.

A tensão entre as Coreias continua, mas ficou em segundo plano para os investidores. A Coreia do Norte expulsou oito funcionários do governo sul-coreano que trabalhavam em um complexo industrial conjunto localizado no país e ameaça impedir o acesso dos sul-coreanos ao país caso a Coreia do Sul mantenha as ações contra sua vizinha.

(Téo Takar | Valor com agências internacionais)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host