UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

27/05/2010 - 18h09

Cenário internacional anima investidor e Ibovespa retoma 62 mil pontos

SÃO PAULO - Uma melhora global do humor dos investidores reduziu a aversão a risco e impulsionou as compras no mercado acionário e de commodities.

Como resultado deste movimento, o Ibovespa encerrou o pregão com valorização de 3,16%, aos 62.091 pontos, com giro financeiro de R$ 6,661 bilhões.

Na semana, o principal índice da Bovespa já subiu 3,04%, enquanto, no mês, o Ibovespa acumula queda de 8,05%. Já nos Estados Unidos, após três quedas consecutivas, o índice Dow Jones subiu 2,85%, aos 10.258,99 pontos, enquanto o Nasdaq teve valorização de 3,73%, para 2.277,68 pontos. Já o S & P 500, que havia recuado ontem, se apreciou em 3,29%, aos 1.103,06 pontos.

O mercado conseguiu novamente tomar fôlego com a redução das preocupações na Europa. Pela manhã, a declaração feita pela China de que não pretende se desfazer de bônus europeus, como se suspeitou ontem, já deu alívio para os investidores.

De acordo com a autoridade reguladora do câmbio da China, a Europa continuará como um dos seus principais mercados de investimento.

Além disso, a aprovação de um pacote de austeridade fiscal no valor de 15 bilhões de euros pelo Parlamento espanhol também deu uma indicativa de maior comprometimento com a crise e estimulou as compras nos mercados.

Diante dos fatores citados, a revisão para baixo do crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) americano no primeiro trimestre do ano, de 3,2% para 3,0%, foi praticamente ignorada pelos investidores.

"A notícia da China trouxe cautela para o mercado ontem e a negação de hoje gerou um novo ânimo para os investidores. Além disso, os governos na Europa estão mostrando certo comprometimento com a crise, que era o que o mercado esperava. Desde a semana passada, a força vendedora perdeu um pouco de força e poderíamos estar até melhores, já que há muita ação barata", ressaltou o analista da Leme Investimentos, João Pedro Brugger.

Segundo o operador da Um Investimentos, Eduardo Oliveira, a "esticada" dos ganhos ao fim do pregão foi um movimento técnico, mas, diante da proximidade do fim do mês, os investidores também podem estar aproveitando para ajustar suas carteiras.

Apesar de retomar os 62 mil pontos, o Ibovespa deve continuar a operar com volatilidade nos próximos dias, na visão dos analistas, e ainda não é possível apontar uma reversão da trajetória.

No ambiente corporativo, a valorização dos preços das commodities se refletiu em alta expressiva de papéis ligados ao setor de siderurgia e mineração.

Entre os destaques do dia, as ações ON da MMX subiram 7,25%, a R$ 10,94, e os papéis ON da Usiminas avançaram 7,22%, a R$ 44,5. No caso da Vale, as ações ON se apreciaram em 6,3%, a R$ 49,4, enquanto os papéis PNA subiram 6,28%, para R$ 42,1, com giro de R$ 1,007 bilhão.

As ações da empresa estão com destaque entre os estrangeiros. Ontem, o HSBC havia elevado a recomendação para os papéis da Vale de "neutral" (manutenção) para "overweight" (compra).

Nesta quinta-feira, o Morgan Stanley reiterou a recomendação de "overweight" para as ADRs da Vale, com preço-alvo de US$ 38,00 para dezembro de 2010.

Ainda entre as principais altas do Ibovespa, no setor imobiliário, as ações ON da Rossi tiveram ganhos de 8,15%, para R$ 13,4, e as da Agre subiram 7,6%, para R$ 7,64.

No segmento de papel e celulose, os papéis ON da Fibria subiram 7,32% a R$ 30,03. Fora do Ibovespa, as ações PNA da Suzano avançaram 7,91%, para R$ 15,81.

Matéria publicada pelo Valor hoje mostrou que as empresas de alimentos e cosméticos estão antecipando encomendas de papéis para embalagens, especialmente papel-cartão, para produtos que serão vendidos na época do Natal.

Já entre as poucas quedas do dia, depois de dispararem mais de 11% ontem, os papéis ON da BM & FBovespa caíram 2,21%, a R$ 11,93. Já as ações ON da Duratex encerraram os negócios com queda de 1,89%, a R$ 15,5, enquanto os papéis ON da Itaúsa caíram 0,9%, para R$ 10,9.

Na lista de maiores volumes do dia, destaque para os papéis PN da Petrobras, que subiram 2,80%, para R$ 27,81, e movimentaram R$ 509 milhões, e para as ações ON da OGX Petróleo, com valorização de 1,88%, a R$ 16,19, e giro de R$ 347,2 milhões.

(Beatriz Cutait | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host