UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

27/05/2010 - 17h00

Internet é principal canal de relacionamento de bancos com clientes

SÃO PAULO - As transações bancárias via internet devem se consolidar cada vez mais como grande canal de relacionamento dos bancos com os clientes. A análise é do diretor de tecnologia da Federação Brasileira dos Bancos (Febraban), Gustavo Roxo. Segundo ele, a tendência faz com que a característica das agências bancárias como locais para realização de negócios se fortaleça ao longo dos anos.
A conclusão é evidenciada pela pesquisa "O setor bancário em números", divulgada hoje pela entidade, que mostra que nos últimos anos o número de contas correntes apresentou crescimento semelhante ao número de contas de internet banking no país.

"Hoje, a pessoa entra no atendimento bancário e, ao mesmo tempo, já tem o internet banking", explicou o executivo. De acordo com o levantamento, foram registradas 134 milhões de contas correntes em 2009, ante 126 milhões em 2008 e 112 milhões em 2007, o que representou uma alta de 19% nos últimos três anos.

Por sua vez, o número de contas de internet banking somou 35 milhões no ano passado, acima das 32 milhões de contas em 2008 e 30 milhões em 2007. Por outro lado, o número de cheques compensados em 2009, recuou 11% frente ao ano anterior, passando de 1,390 bilhão para 1,230 bilhão de cheques. Em 2007, o número somava 1,500 bilhão.

Gustavo Roxo observou ainda que a pessoa jurídica, atualmente, é mais forte na utilização do internet banking do que a pessoa física. "É outra tendência. Entre 2008 e 2009, as transações via internet banking para pessoa jurídica cresceram 17,7%, enquanto para pessoa física, a alta foi de 14,4%", disse.

Apesar do maior uso de operações bancárias pela internet, os investimentos dos bancos brasileiros em tecnologia apresentaram desaceleração. No ano passado, os recursos destinados a tecnologia somaram R$ 19,4 bilhões, alta de 6% em relação a 2008, quando foi verificado um crescimento de 11% dos investimentos na comparação com 2007.

"Mas foi bem, dado o momento da crise. A indústria bancária brasileira manteve a média histórica de crescimento dos investimentos em tecnologia do setor no mundo", justificou Roxo.

A pesquisa da Febraban revelou ainda um crescimento de 31% no número de cartões de crédito do sistema entre 2007 e 2009, para 136 milhões de plásticos. As transações com cartões somaram 2,5 bilhões de operações no ano passado, contra 1,9 bilhão em 2007.

(Vanessa Dezem | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host