UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

10/06/2010 - 18h09

Ibovespa retoma os 63 mil pontos, em dia de melhora global

SÃO PAULO - O desempenho contínuo de alta ao longo do pregão desta quinta-feira garantiu um dia positivo para o Ibovespa. O índice retomou o patamar dos 63 mil pontos, o que ainda não tinha sido visto neste mês.

Na cola das bolsas internacionais, o Ibovespa fechou as operações com valorização de 2,55%, aos 63.048 pontos, com giro financeiro de R$ 5,0 bilhões. Com o desempenho de hoje, o índice voltou a acumular alta na semana, de 2,23%. No mês, o Ibovespa está "zerado", estável.

Já em Wall Street, o índice Dow Jones avançou 2,76%, o Nasdaq se apreciou em 2,77%, e o S & P 500 teve ganho de 2,95%. A largada para a valorização dos mercados partiu dos dados divulgados na China, que confirmaram o bom desempenho da economia.

Em maio, o superávit comercial do país atingiu US$ 19,53 bilhões. Tanto as exportações como as importações da China cresceram mais de 48% na comparação anual.

Já nos Estados Unidos, o déficit comercial atingiu US$ 40,3 bilhões, em abril, pouco acima do resultado negativo de US$ 40 bilhões apurado em maço. E, na Europa, o Banco Central Europeu (BCE) revelou que sua previsão para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) da zona do euro em 2010 melhorou. A estimativa passou de uma faixa de expansão de 0,4% a 1,2% para 0,7% a 1,3%.

"Hoje o mercado teve um dia bom, já se prenunciava logo cedo uma menor aversão a risco que beneficiaria as bolsas. O Ibovespa foi muito impulsionado pelas notícias da China, que deram o tom para a alta e levaram as commodities a subirem", pontuou o economista-chefe da SulAmérica Investimentos, Newton Rosa.

O aumento dos preços das commodities de fato levou as ações de maior peso do Ibovespa a disparem no pregão. Entre as principais altas do índice figuraram os papéis ON da mineradora MMX, com apreciação de 6,12%, a R$ 11,43, as ações PN da Gerdau Metalúrgica, com ganhos de 6,06%, a R$ 30,97, e Usiminas PNA, com avanço de 5,85%, para R$ 45,40. Esses papéis apresentaram o terceiro maior volume do dia, com giro de R$ 184,3 milhões.

Os destaques do índice ficaram com as ações do setor de construção. Os papéis ON da PDG Realty subiram 6,39%, a R$ 15,8, enquanto as ações ON da Agre Empreendimentos Imobiliários, com apreciação de 6,17%, a R$ 7,74.

E, entre as blue chips, Vale PNA se apreciou em 1,97%, a R$ 41,22, com giro de R$ 737,7 milhões, e Petrobras PN apresentou ganhos de 1,18%, a R$ 29,90, e movimentou R$ 535,9 milhões. Já os papéis ON da estatal tiveram um aumento de 1,12%, a R$ 34,94.

Embora tenham subido, as ações da Petrobras tiveram um desempenho abaixo do Ibovespa, em um dia que oficializou a "largada" para seu aumento de capital.

O Plenário do Senado aprovou nesta madrugada o projeto de lei que capitaliza a estatal para a exploração de petróleo e gás na camada pré-sal. A estatal contratou o Banco do Brasil (BB) como coordenador de varejo no Brasil da oferta pública de ações, estimada em US$ 25 bilhões.

Segundo um operador de mercado que preferiu não se identificar, a principal questão da empresa ainda diz respeito ao preço do barril de petróleo na cessão onerosa, cuja expectativa gira em torno de US$ 5,00 a US$ 6,00. Para ele, apenas a partir da Assembleia Geral Extraordinária (AGE), marcada para o próximo dia 22, o investidor poderá ter uma melhor definição do processo, mas, até lá, não há razões para as ações da estatal subirem.

Fora do Ibovespa, os papéis ON da Lupatech parecem ter se beneficiado da notícia da Petrobras, já que apuraram valorização de 8,21%, para R$ 23,05.

No lado negativo, apenas duas ações que compõem o índice fecharam no vermelho. São elas Eletropaulo PNB, que teve queda de 1,03%, a R$ 32,51, e Cteep PN, com desvalorização de 1,74%, a R$ 45,1.

(Beatriz Cutait | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host