UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

10/06/2010 - 08h42

Inflação ao consumidor de baixa renda desacelera em maio, apura FGV

SÃO PAULO - O Índice de Preços ao Consumidor - Classe 1 (IPC-C1) recuou para 0,18% em maio, influenciado pelo movimento do grupo Alimentação. O resultado ficou bem abaixo daquele verificado um mês antes, quando o indicador, destinado a medir a inflação para os consumidores com renda de até 2,5 salários mínimos, tinha avançado 1,28%.

Conforme o levantamento da Fundação Getulio Vargas (FGV), a queda no preço do tomate e a alta menos marcada no leite tipo longa vida, no feijão carioquinha e nas carnes bovinas fizeram com que Alimentação deixasse uma elevação de 2,52% em abril para declínio de 0,20% um mês depois.

Dois grupos saíram da casa de 1% de acréscimo no quarto mês de 2010 e tiveram incremento menos significativo na medição de maio - Vestuário subiu 0,80% e Saúde e cuidados pessoais tiveram elevação de 0,66%. Educação, leitura e recreação abandonaram expansão de 0,57% para estabilidade.

No sentido oposto, Habitação foi de 0,29% para 0,63% de alta na passagem de abril para maio. Mesmo movimento foi observado em Despesas Diversas, que partiram da estabilidade para 0,16% de ampliação.

Transporte ficou estacionado em baixa de 0,01%. "O destaque foi o item Tarifa de Transporte de Van, cuja taxa passou de -0,11% para 0,00%. Em contrapartida, o item Gasolina continuou a registrar queda, passando a taxa de -0,83% para -0,95%", apontou a FGV em nota.

O IPC-C1 subiu 5,18% no acumulado do ano e 6,04% em 12 meses.

(Juliana Cardoso | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host