UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

11/06/2010 - 09h47

Cautela deve predominar na abertura da Bovespa

SÃO PAULO - Depois de um dia de melhora generalizada do humor dos mercados, que levou o Ibovespa a retomar os 63 mil pontos, os investidores devem adotar maior cautela no início dos negócios desta sexta-feira. A indicação vem do Ibovespa futuro que, há pouco, recuava 0,79%, para 62.600 pontos.

Ontem, o principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) registrou elevação de 2,55%, aos 63.048 pontos, e girou R$ 5 bilhões.

Indicadores divulgados na noite de ontem na China são os destaques da agenda desta jornada. Em maio, as vendas no varejo chinês cresceram 18,7% na comparação anual, e somaram 1,25 trilhão de yuan (US$ 183 bilhões).

Já a produção industrial do país ampliou-se 16,5% no mês passado, ante maio de 2009. Pelo lado da inflação, na mesma base de comparação, o índice de preços ao consumidor subiu 3,1% no último mês, enquanto os preços no atacado ficaram 7,1% maiores.

E, por fim, os novos empréstimos na China caíram para 639,4 bilhões de yuan em maio, ou US$ 93,6 bilhões, ante a marca de 774 bilhões de yuan em abril.

Além dos indicadores chineses, estão na pauta do dia os dados americanos. O primeiro a ser divulgado já deu um tom negativo para os índices futuros.

Segundo o Departamento do Comércio, as vendas no varejo declinaram 1,2% em maio no país, no comparativo com um mês antes, embora tenham crescido 6,9% no confronto com o quinto mês de 2009.

E, ainda hoje, sai a leitura preliminar de junho do índice de confiança do consumidor, calculado pela Universidade de Michigan.

Nesta manhã, os índices futuros americanos apresentavam baixa, enquanto, na Europa, o mercado operava de lado.

No mercado asiático, as bolsas encerraram a jornada no campo positivo, acompanhando o movimento positivo do último pregão em Wall Street.

Em Tóquio, o Nikkei 225 aumentou 1,70%, em Hong Kong, o Hang Seng, subiu 1,22%, em Seul, o Kospi, teve alta de 1,43% e, em Xangai, o Shanghai Composite teve avanço de 0,29%.

No mercado cambial, o dólar abriu a sessão em baixa, mas agora operava praticamente estável. Há pouco, a moeda americana era negociada a R$ 1,809 na compra e a R$ 1,811 na venda, apreciação de 0,05%. Já o dólar futuro com vencimento em julho subia 0,19%, a R$ 1,8175.

(Beatriz Cutait | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host