UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

11/06/2010 - 17h12

Consórcio reavalia projeto de Belo Monte para minimizar impacto ambiental

SÃO PAULO - O consórcio Norte Energia - vencedor da licitação da hidrelétrica de Belo Monte - está avaliando mudanças de projeto que vão reduzir o investimento na usina, estimado em R$ 19 bilhões pelo governo, mas que pode chegar a R$ 30 bilhões nas contas do mercado.

Só em concretagem, a redução considerada é de R$ 1 bilhão, informou hoje o presidente do grupo, José Ailton de Lima. Segundo ele, entre as mudanças analisadas estão tanto o corte na quantidade de turbinas, de 20 para 18, como a diminuição do número de canais, de dois para um. As alterações, disse, permitirão uma redução de tamanho da casa de força principal.

?São coisas que os projetistas estão estudando neste momento?, disse Lima, que também é diretor de engenharia e construção da Chesf, do grupo Eletrobras. Segundo ele, toda essa revisão tem a finalidade de minimizar o impacto ambiental da hidrelétrica. Até 30 de julho, o consórcio pretende apresentar o projeto ao Ibama e à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). ?Acreditamos que assim o Ibama terá mais facilidade (na apreciação do projeto)?, afirmou o executivo, após o leilão de linhas de transmissão, promovido pela Aneel na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa).

No mesmo evento, o diretor-geral da agência reguladora, Nelson Hubner, disse em entrevista a jornalistas que a licitação das linhas de transmissão que vão escoar a usina de Belo Monte deverão ocorrer em meados do ano que vem. O diretor da Elecnor, Francisco Padilla, afirmou que a companhia espanhola provavelmente terá interesse em participar da licitação.

Além de falar sobre o que chama de " otimização " do projeto, Lima assinalou que a Norte Energia ainda não definiu qual será a construtora do empreendimento, que não precisa estar necessariamente dentro do consórcio. Sobre as máquinas e as turbinas que serão compradas, ele disse que, além de companhias brasileiras, empresas ucranianas, russas, chinesas e japonesas já mostraram interesse em fornecer tais equipamentos. (Eduardo Laguna | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host