UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

11/06/2010 - 09h54

Depois do tombo de ontem, dólar avança 0,27%, a R$ 1,815

SÃO PAULO -Depois do tombo na quinta-feira, o dólar comercial ensaia um pregão de valorização nesta sexta-feira. Os compradores encontram respaldo na falta de rumo dos mercados externos.

Por volta das 10 horas, o dólar comercial registrava leve alta de 0,27%, a R$ 1,813 na compra e R$ 1,815 na venda.

Já no mercado futuro, o dólar com vencimento em julho, negociado na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM & F), apontava valorização de 0,35%, a R$ 1,8205.

Nas bolsas os negócios ainda não começaram, mas a indicação proveniente do mercado futuros é de abertura em baixa tanto em São Paulo quanto em Nova York. Em Wall Street, os agentes acabaram de receber as vendas no varejo, que caíram 1,2% em maio, primeira queda desde setembro do ano passado.

Os investidores também reagem, hoje, a uma rodada de dados provenientes da China. Ontem à noite, foi divulgado um salto de 18,7% nas vendas do varejo e um crescimento de 16,3% na produção industrial em maio no comparativo anual.

Pelo lado da inflação, o índice de preços ao consumidor subiu 3,1% no mês passado, enquanto os preços no atacado ficaram 7,1% maiores. Em abril, as variações foram de 2,8% e 6,8%, respectivamente.

Já a concessão de crédito caiu entre abril e maio. Mês passado, os bancos chineses originaram 639 bilhões de yuans, algo como US$ 94 bilhões, em novos empréstimos, contra 774 bilhões de yuans em abril.

De volta ao mercado local, os bancos aproveitaram a queda de preços e comparam mais de US$ 1 bilhão em contratos futuros, realizando lucros em sua posição vendida (aposta pró-real), que ainda soma US$ 6,93 bilhões. Já os estrangeiros, que vinham com posição comprada, ou seja, aposta de alta do dólar, venderam US$ 1,46 bilhão, mas ainda tem um estoque pró-dólar de US$ 4,51 bilhões.

(Eduardo Campos | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host