UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

11/06/2010 - 12h28

Ibovespa opera de lado, na cola do mercado americano

SÃO PAULO - O mercado brasileiro opera de lado no pregão de encerramento desta semana, espelhando o desempenho das bolsas americanas.

Próximo das 12h20, o Ibovespa, que já oscilou entre 62.370 pontos e 63.302 pontos, registrava alta de apenas 0,01%, somando 63.056 pontos, com giro financeiro de R$ 1,554 bilhão. Na jornada passada, o índice marcou 63.048 pontos.

No mesmo horário, nos Estados Unidos, o índice Dow Jones cedia 0,39%, enquanto o Nasdaq caía apenas 0,01% e o S & P 500 tinha baixa de 0,41%.

Entre os dados divulgados pela manhã, destaque para as vendas no varejo dos Estados Unidos, que vieram pior que o esperado, ao declinar 1,2% de abril para maio.

Já a confiança do consumidor americano alcançou o nível mais alto desde janeiro de 2008, conforme pesquisa da Universidade do Michigan.

Na China, foi revelado que as vendas no varejo cresceram 18,7% em maio na comparação anual, para 1,25 trilhão de yuan (US$ 183 bilhões). Já a produção industrial do país ampliou-se 16,5%. Pelo lado da inflação, o índice de preços ao consumidor subiu 3,1% no último mês, enquanto os preços no atacado ficaram 7,1% maiores.

Além disso, novos empréstimos na China caíram para 639,4 bilhões de yuan em maio, ou US$ 93,6 bilhões, ante a marca de 774 bilhões de yuan em abril.

Segundo o Banco Fator, os dados confirmaram que o forte ritmo de crescimento continua em vigor, ainda que vários números mostrem certa desaceleração do ritmo de alta na margem, como produção industrial, investimentos e concessões de empréstimos.

"O governo já adotou uma série de medidas para diminuir o andar da carruagem, de forma que certa desaceleração é considerada bem-vinda, ainda mais levando em conta que a inflação está subindo e preocupa as autoridades. Com a inflação em alta e o lento ritmo de desaceleração da atividade até o momento, crescem especulações de que mais medidas restritivas podem ser adotadas. Além disso, deve voltar a aumentar a pressão sobre a China para a valorização da moeda, estável desde meados de 2008", ressaltou a instituição", em relatório enviado ao mercado.

O economista da M2 Investimentos, Marco Antonio Gazel, assinala que o mercado tem um viés negativo para esta jornada, antes do fim de semana, e que o investidor deve manter o clima de cautela.

No cenário corporativo, as "blue chips" registravam rumos distintos. Há pouco, enquanto os papéis PNA da Vale subiam 0,41%, para R$ 41,39, com giro de R$ 192,9 milhões, as ações PN da Petrobras cediam 0,90%, a R$ 29,63, e com volume de R$ 167,4 milhões.

A Petrobras não confirmou informações divulgadas pela imprensa sobre o valor levantado no processo de capitalização da companhia. Segundo a empresa, comentários sobre o montante, o cronograma e a estrutura da oferta "constituem mera especulação".

Na edição de hoje, o Valorpublicou matéria informando que o volume final da capitalização da Petrobras deve ficar ao menos entre US$ 50 bilhões e US$ 60 bilhões, na avaliação de analistas. A quantia é muito superior aos US$ 25 bilhões que vinham sendo usados como referência para a oferta pública de ações.

Entre as maiores altas do Ibovespa, estavam os papéis ON da Cosan, com valorização de 1,69%, a R$ 21,00, as ações ON da Gafisa, com apreciação de 1,47%, a R$ 11,00, e as ON da Agre Empreendimentos Imomibiliários, com ganhos de 1,28%, a R$ 7,87.

No sentido oposto, as principais baixas do dia partiam dos papéis ON da Brasil Ecodiesel, com desvalorização de 2,32%, a R$ 0,84, das ações PNB da Copel, com depreciação de 2,27%, a R$ 32,67, e de Telesp PN, com queda de 2,06%, a R$ 38,00.

Ainda no mercado brasileiro, o fluxo estrangeiro na Bovespa estava negativo em R$ 124,1 milhões no acumulado de junho, até o dia 9, resultado de compras no valor de R$ 8,804 bilhões e de vendas de R$ 8,928 bilhões. Apenas na quarta-feira passada, o estrangeiro colocou R$ 43,7 milhões no mercado. Apesar do movimento, o Ibovespa caiu 0,51% naquele dia.

No ano, o resultado da atuação do investidor internacional na bolsa brasileira estava negativo em R$ 2,914 bilhões.

(Beatriz Cutait | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host