UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

15/06/2010 - 19h52

Lula quer proposta para amenizar queixas contra os Correios

BRASÍLIA - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva exigiu que fossem apresentadas medidas para conter as críticas que os Correios têm sofrido nas últimas semanas por problemas com a qualidade do serviço. Hoje, Lula chamou o ministro das Comunicações, José Artur Filardi, e o presidente dos Correios, Carlos Henrique Custódio, para propor uma solução no prazo de uma semana.

A reunião do presidente Lula com o ministro das Comunicações e o presidente dos Correios foi realizada momentos antes da estreia da seleção brasileira na Copa do Mundo de Futebol. Diante das queixas contra a estatal, Filardi afirmou que Lula se quer mencionou o risco de demissão de qualquer diretor. "Não foi discutido isso [mudança na gestão dos Correios]. Primeiro vamos cuidar do problema e apresentar a proposta", disse Filardi. Segundo ele, as medidas serão elaboradas com a participação dos ministros do Planejamento, Paulo Bernardo, e da Casa Civil, Erenice Guerra.

As dificuldades enfrentadas nos últimos meses pelos Correios tiveram uma repercussão maior por terem afetado os serviços de entrega de encomendas Sedex, serviço considerado como um dos mais importantes da estatal. Em meio aos contratempos enfrentados com o atraso nas entregas, os jornais da última semana informaram que o presidente Lula não teria exigido a demissão na estatal para não gerar atrito na aliança com o PMDB, partido que indicou os nomes para a direção da empresa. Filardi não comentou se foi tratado durante a reunião com o presidente a questão do envio para o Congresso Nacional da medida provisória (MP), que prevê a transformação dos Correios em uma empresa de Sociedade Anônima (S/A) e outras mudanças na Lei Postal (lei 6.538/78). A MP foi enviada à Casa Civil ainda no ano passado e tem o propósito de dar maior liberdade à gestão da companhia.

Ao reformular a atuação dos Correios, o governo pretende modernizar a estatal criando soluções, por exemplo, para a área de logística ao permitir a contratação direta e imediata de outras empresas ou, até mesmo, com a criação de subsidiárias para cumprir etapas da entrega de cartas e encomendas. Outras propostas esperadas preveem a expansão do Banco Postal para outros países e a criação de serviços híbridos de correspondência que utilizariam recursos da tecnologia digital. Nenhuma destas medidas devem constar entre as propostas emergenciais cobradas hoje pelo presidente Lula.

(Rafael Bitencourt | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host