UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

16/06/2010 - 09h47

Bovespa deve iniciar pregão no vermelho

SÃO PAULO - Depois de retomar os 64 mil pontos na última jornada, registrando a maior pontuação desde 13 de maio, o Ibovespa deve iniciar os negócios desta quarta-feira no campo negativo. É o que indica o índice futuro que, há pouco, declinava 1,06%, para 64.785 pontos.

A quarta-feira ainda marca o vencimento do contrato futuro do Ibovespa, que a partir de amanhã terá vencimento em agosto.

Ontem, o mercado brasileiro foi embalado por uma melhora generalizada das Bolsas. Desta forma, o principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) subiu 1,43%, para 64.442 pontos, mas girou apenas R$ 3,743 bilhões, menor volume de 2010.

Embora os ganhos da sessão passada favoreçam um movimento de realização de lucros, a agenda carregada de hoje pode mexer com o humor dos investidores.

Nos Estados Unidos, o Departamento do Trabalho já revelou que o índice de preços ao produtor americano diminuiu 0,3% em maio, após recuar 0,1% um mês antes. Sem alimentos e energia, itens considerados voláteis, no entanto, o indicador subiu 0,2%, taxa idêntica àquela apurada em abril.

Os agentes ainda vão analisar os dados sobre construção de novas moradias e a produção industrial, referentes a maio. À noite, o presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), Ben Bernanke, fará um discurso sobre reforma financeira.

Na Europa, a agência de estatísticas Eurostat mostrou que a inflação anual da zona do euro foi de 1,6% em maio, pouco acima da taxa apurada um mês antes, de 1,5%. Em maio de 2009, o indicador havia ficado estável.

No Brasil, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou que as vendas no varejo recuaram 3% entre março e abril. No comparativo com abril de 2009, o indicador subiu 9,1%.

Pela manhã, os índices futuros americanos registravam queda, enquanto as principais bolsas europeias operavam de lado.

No mercado asiático, as bolsas tiveram mais um dia de ganhos. Os negócios foram influenciados pelo bom desempenho dos mercados americanos ontem e pelo movimento das ações de empresas voltadas para exportações e ligadas a matérias-primas.

Em Tóquio, o Nikkei 225 subiu 1,81% e, em Seul, o Kospi teve valorização de 0,91%. Os mercados de Hong Kong, China e Taiwan não abriram devido a feriado local.

No mercado cambial, um dia após verificar a menor cotação desde maio, o dólar comercial iniciou a sessão em alta. Há pouco, a moeda americana era negociada a R$ 1,796 na compra e a R$ 1,798 na venda, apreciação de 0,27%. Já o dólar futuro com vencimento em julho subia 0,44%, a R$ 1,8025.

(Beatriz Cutait | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host