UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

16/06/2010 - 18h21

Com BP, arrefecem perdas em Wall Street no fim do pregão

SÃO PAULO - Depois de passarem a maior parte da sessão em território negativo, os principais índices de Wall Street fecharam o pregão praticamente estáveis. O índice Dow Jones ganhou 0,05%, aos 10.409 pontos. O Nasdaq fechou na estabilidade, aos 2.306 pontos. O S & P-500, por outro lado, recuou 0,06%, aos 1.115 pontos. A pequena melhora no clima no fim do dia veio com a notícia de que a petrolífera britânica BP suspendeu o pagamento do dividendo trimestral, como parte de seu compromisso para compensar vítimas do derramamento de petróleo no Golfo. Além disso, o presidente da BP, Carl-Henric Svanberg, confirmou que a empresa vai constituir um fundo de US$ 20 bilhões para pagar as vítimas do desastre. As ações da companhia chegaram a avançar quase 4% em Nova York. O clima de cautela que dominou a maior parte do pregão, no entanto foi provocado pelos dados da atividade de construção de casas nos Estados Unidos, que diminuiu 10% em maio, para uma taxa anualizada sazonalmente ajustada de 593 mil. Em abril, a leitura correspondeu a 659 mil unidades. No âmbito corporativo, as notícias também não foram boas. A FedEx registrou lucro líquido de US$ 419 milhões no quarto trimestre fiscal. Um ano antes, a empresa de serviços de entregas verificava prejuízo, de US$ 876 milhões. As ações da empresa caíram quase 6%. A Nokia, por sua vez, alertou o mercado que o lucro deste ano vai ser afetado pela dura competição no mercado de smartphones. Os papéis da companhia caíram mais de 10%. Os investidores receberam ainda a notícia de que a Fannie Mae e Freddie Mac, agências do setor imobiliário patrocinadas pelo governo americano, podem deixar a Bolsa de Valores de Nova York (Nyse, na sigla em inglês). Ambas ações caíram cerca de 40%.

(Vanessa Dezem | Valor, com agências internacionais)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host