UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

16/06/2010 - 19h46

Mantega nega aumento da tarifa de importação do aço

BRASÍLIA - O ministro da Fazenda, Guido Mantega, negou que a elevação da tarifa de importação do aço esteja na pauta de amanhã da Câmara de Comércio Exterior (Camex). Mas, ele admitiu que se reuniu hoje com representantes do setor siderúrgico, "numa reunião de rotina", para avaliação do comportamento do setor.

Mantega também rechaçou informações de que teria tratado de estímulos fiscais ao desenvolvimento de veículo movido a energia elétrica, em alguma das várias reuniões que teve hoje. No mês passado, Mantega e seu colega do Desenvolvimento, Miguel Jorge, chegaram a convocar entrevista para anúncio de medidas nesse sentido, que foi abortada a mando do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que pediu para pensar mais sobre o tema.

Sobre a extensão de medidas anticrise, como a prorrogação de incentivos fiscais para partes do setor automotivo (caminhões, tratores, reboques e carros leves), o ministro da Fazenda justificou que as vendas desses setores demoraram a reagir após a crise mundial de 2008/2009.

Ele explicou que já foram eliminados todos os incentivos fiscais para bens de consumo. À exceção de materiais de construção, que ele classifica de "hibrido", pela destinação múltipla. A redução de Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para o setor vale até o fim de dezembro, mesmo prazo dos demais.

Mantega justificou ainda que, apesar da renúncia fiscal ser de quase R$ 800 milhões, o governo não precisa fazer novos cortes no Orçamento da União.

"Não há perda de arrecadação porque são impostos que o governo já estava deixando de recolher. Assim, não é necessário ajuste orçamentário para compensar", disse o ministro da Fazenda.
Outra negativa de Mantega foi sobre um possível reajuste em taxas praticadas nos financiamentos do BNDES, inclusive no Programa de Sustentação do Investimento (PSI). Na forma de juros negativos e prazos mais longos, o PSI estimula os setores de máquinas e equipamentos a aumentarem seus investimentos.
(Azelma Rodrigues e Rafael Bitencourt | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host