UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

01/07/2010 - 12h46

Ibovespa cai para 60.557 pontos; ações do BB disparam no pregão

SÃO PAULO - A divulgação de indicadores econômicos na China e nos Estados Unidos não agradou o mercado nesta quinta-feira e está levando os investidores a atuarem mais uma vez na ponta de venda das bolsas.

No Brasil, a trajetória não é diferente. Em baixa pelo quarto dia seguido, o Ibovespa quase rompeu os 60 mil pontos, mas começou a reduzir as perdas no início da tarde.

Próximo das 12h40, o Ibovespa registrava queda de 0,62%, aos 60.557 pontos, com giro de R$ 3,314 bilhões. O índice chegou a buscar uma recuperação no início do dia, quando fez máxima de 61.381 pontos, mas logo perdeu força com os indicadores americanos.

Em Wall Street, o Dow Jones cai pelo sexto dia seguido. Há pouco, o índice cedia 0,93%, enquanto o Nasdaq declinava 0,95% e o S & P 500 recuava 1,07%.

O mercado externo já começou o dia "mais pesado" por conta da China. O Índice de Gerentes de Compra (PMI, na sigla em inglês) da indústria marcou 52,1 em junho, ou 1,8 ponto percentual abaixo da leitura de maio.

Já nos Estados Unidos, o Institute for Supply Management (ISM) mostrou que o indicador que mede o desempenho da atividade manufatureira do país caiu de 59,7 em maio para 56,2, em junho, um resultado mais fraco que o projetado.

Outro dado ruim veio da Associação Nacional dos Corretores de Imóveis (NAR, na sigla em inglês), que revelou que o índice de contratos de vendas para imóveis usados diminuiu 30% de abril para maio, com ajuste sazonal. O índice recuou 15,9% ante o mesmo mês de 2009.

"As bolsas estão caindo basicamente pela sinalização de desaquecimento na China, que pesou na abertura dos negócios e nas cotações de commodities. Na continuação, tivemos indicadores americanos bem piores que o esperado, o que azedou o humor do dia", comentou o analista da Socopa, Marcelo Varejão.

No front acionário, a baixa das commodities se reflete em queda dos papéis de maior peso sobre o Ibovespa.

Há pouco, as ações PNA da Vale declinavam 0,52%, a R$ 37,71, com giro de R$ 356,5 milhões, enquanto os papéis PN da Petrobras recuavam 1,45%, a R$ 26,47, com volume de R$ 229,1 milhões.

O maior giro financeiro, entretanto, está com os papéis ON do Banco do Brasil, que subiam 4,50%, para R$ 25,76, com volume de R$ 468,5 milhões.

Os papéis lideravam os ganhos do Ibovespa. Matéria publicada na edição de hoje do Valor mostrou que a demanda pelas ações do Banco do Brasil (BB) superou em mais de duas vezes a oferta, com as ordens de compra passando dos R$ 18 bilhões. Apenas as pessoas físicas pediram reserva de R$ 2 bilhões, sendo que os institucionais brasileiros teriam garantido 40% das propostas.

A queda do mercado nos últimos dois dias, entretanto, levou o preço de venda dos papéis a R$ 24,65, o mais baixo desde setembro do ano passado.

Com essa condição, o BB conseguiu captar R$ 7,05 bilhões na oferta primária de 286 milhões de novas ações, o que elevará seu Índice de Basileia de 13,7% para 15,3%, enquanto o mínimo exigido pelo Banco Central é de 11%.

Ainda entre as principais altas do dia figuravam os papéis PN da NET, com valorização de 2,11%, a R$ 17,36, e da Itaúsa PN, com apreciação de 1,86%, a R$ 10,91.

No sentido oposto, os papéis ON da Sabesp lideravam as perdas (-4,53%, a R$ 35,80), seguidos por B2W ON (-4,22%, a R$ 28,81) e por Brasil Telecom PN (-3,37%, a R$ 11,73).

(Beatriz Cutait | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host