UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

01/07/2010 - 14h50

Programa de Sustentação do Investimento impulsiona desembolso do BNDES

SÃO PAULO - O programa criado pelo governo federal para impulsionar o crescimento econômico do país impulsionou os desembolsos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social.

O Programa de Sustentação do Investimento (BNDES-PSI) já teve R$ 36,6 bilhões em desembolsos e R$ 55,6 bilhões em operações contratadas, desde seu lançamento, em julho de 2009.

Em todos os setores da economia (agropecuária, indústria, infraestrutura, comércio e serviços) houve crescimento dos desembolsos, refletindo o poder de disseminação do programa de sustentação do investimento, de acordo com o banco. O BNDES-PSI sustentou o setor de máquinas e equipamentos, que recebeu R$ 18,4 bilhões.

O setor de infraestrutura respondeu por 41% dos R$ 46 bilhões desembolsados pelo banco nos cinco primeiros meses do ano, com um total de R$ 18,6 bilhões. Na infraestrutura, o grande destaque foi o segmento de transporte rodoviário, cujos desembolsos somaram R$ 9,8 bilhões entre janeiro e maio passado, um crescimento de 119% na comparação com o mesmo período de 2009. Por trás desse desempenho está o alcance do BNDES-PSI, de acordo com o banco de fomento, pois o programa contribuiu para impulsionar os investimentos em ônibus e caminhões, dentro do segmento de bens de capital. Só para o segmento de transporte rodoviário foram desembolsados, nos cinco primeiros meses deste ano, R$ 7,2 bilhões.

Também nas aprovações até maio, a liderança permaneceu com transporte rodoviário, com R$ 13,1 bilhões, uma expansão de 197%, respondendo, assim, por 58% do que foi aprovado para o setor de infraestrutura, de R$ 22,3 bilhões.

A indústria, com 29% das liberações globais, absorveu R$ 13,3 bilhões em financiamentos no período. Já ao setor de comércio e serviços foram desembolsados R$ 9,8 bilhões, o equivalente a 21% do total, e à agropecuária foram destinados R$ 4,2 bilhões, com participação de 9%.

Nos desembolsos da indústria até maio, o destaque foram os alimentos e bebidas, com R$ 4,1 bilhões, uma alta de 145% em relação ao período entre janeiro e maio de 2009. Em seguida apareceram os materiais de transporte, com R$ 2 bilhões (alta de 40%). Mas, em termos percentuais, o maior avanço foi registrado nos desembolsos ao segmento têxtil e vestuário. Com crescimento de 299%, recebeu R$ 585 milhões. Ainda no setor industrial, as aprovações de financiamento do BNDES ficaram em R$ 17,4 bilhões nos cinco primeiros meses de 2010, um incremento de 48% e participação de 30% sobre o total aprovado pelo banco no período. As consultas e enquadramentos de janeiro a maio deste ano apresentaram queda, influenciadas pelo efeito da operação de financiamento de R$ 25 bilhões à Petrobras, realizada no ano passado e que contribuiu para elevar a base de comparação. As consultas e os enquadramentos recuaram, respectivamente, 17% e 23%, se comparadas com os mesmos meses do ano passado. Assim, as consultas ficaram em R$ 79,9 bilhões, e os enquadramentos, em R$ 65,3 bilhões. (Juliana Ennes | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host