UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

08/07/2010 - 13h20

Abeeólica ainda vê pendências para leilão de fontes alternativas

RIO - O presidente da Associação Brasileira de Energia Eólica (Abeeólica), Ricardo Simões, afirmou que ainda há pontos pendentes para a realização do leilão de fontes alternativas para geração a partir de 2013, que será realizado no dia 19 de agosto.

Simões ponderou que o ideal seria que os empreendimentos de geração eólica não concorressem com os de geração a partir de biomassa, como vai ocorrer. Além disso, ele destacou que a portaria do Ministério de Minas e Energia prevê apenas uma penalização caso não haja a entrega da energia contratada, enquanto o contrato que a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) colocou em consulta pública prevê três penalizações.

O executivo acredita que essa questão será facilmente resolvida antes do leilão, mas frisou que ainda não há regra para a potência associada aos empreendimentos de energia eólica, assim como falta uma regra de contabilização de cotas de energia eólica vendidas no mercado livre.

"Não existe regra estabelecendo o que é do contrato e o que é do mercado livre", disse Simões, que participou hoje do Fórum Estruturação de Projetos Eólicos para os Leiloes de Reserva EA-3. Apesar das questões pendentes, o presidente da Abeeólica acredita que tudo poderá estar bem encaminhado depois da reunião extraordinária da diretoria da Aneel na próxima semana.

Também presente no seminário, o presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Maurício Tolmasquim, não acredita em problemas para a realização do leilão.

Questionado sobre o pleito da Abeeólica para que não houvesse concorrência com a biomassa no leilão da EA-3, ele lembrou que os leilões de reserva, nos quais os empreendimentos eólicos concorrem apenas entre si, acabarão quando não houver mais necessidade de reserva. Nesse sentido, Tolmasquim frisou a importância de que os projetos eólicos adquiram competitividade. "O leilão de reserva vai acabar e o leilão de fontes alternativas vai continuar. Tem que fazer a transição de um para o outro", afirmou. Sobre as questões ainda pendentes para o leilão, Tolmasquim lembrou que o atual estágio de consulta do edital é o ideal para a solução dos questionamentos.

(Rafael Rosas | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host