UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

16/07/2010 - 13h45

China e Alemanha fecham acordos para produção de caminhões

PEQUIM - Companhias da China e da Alemanha assinaram acordos de bilhões de dólares para a fabricação de caminhões e equipamentos de energia, anunciaram nesta sexta-feira os líderes dos dois países.

Acompanhada pelos principais executivos de grandes empresas alemãs, Angela Merkel realizou uma visita de quatro dias pela China para fortalecer os laços entre as duas potências exportadoras. Merkel e o premiê chinês Wen Jiabao têm se encontrado com frequência nos últimos anos, e concordaram em trabalhar juntos para promover a recuperação mundial.

"China e Alemanha passaram por um período de testes", disse Jiabao após visitar, em companhia de Angela Merkel, uma guarda de honra em uma cerimônia de boas-vindas no Grande Salão do Povo.

Entre os contratos assinados está o de US$ 3,5 bilhões entre a Siemens AG e da Shanghai Electric Power Generation Equipment para desenvolver turbinas a vapor e gás, e uma nova parceria entre Daimler AG e a Foton Beiqi Motor, no valor de 6,35 bilhões de yuan (US$ 936 milhões) para a fabricação de caminhões leves e pesados, segundo informações da agência estatal Xinhua.

O comércio entre China e Alemanha movimenta mais de US$ 100 bilhões por ano. As empresas alemãs têm investido bilhões de dólares na China, por meio de marcas como Siemens e BMW AG.

Jiabao mostrou-se confiante na recuperação da União Europeia, o maior parceiro comercial da China. "Vamos continuar a assistir o desenvolvimento econômico da Europa", disse o primeiro-ministro chinês a jornalistas. Merkel disse que os países membros da União Europeia vão discutir em setembro as questões envolvendo o reconhecimento do estatuto de mercado da China. O país afirma que a medida ajudaria a evitar ações punitivas anti-dumping.

"Do ponto de vista do governo alemão, a China tem de cumprir os requisitos em dois campos", disse Merkel. "O primeiro é diz respeito aos direitos de propriedade intelectual, e nós temos discutido este assunto com o governo chinês por um longo tempo. O segundo é a questão do livre acesso ao mercado. Esperamos que as empresas alemãs possam ter acesso ao mercado chinês como outras companhias. " Uma nova oportunidade de negócios entre China e Alemanha está na exploração de tecnologias de energia limpa, segmento em que a Alemanha detém grande representatividade. De acordo com a Xinhua, os dois países concordaram em criar um fundo de 124 milhões de euros (US$ 159 milhões) para incentivar as empresas a economizar energia e reduzir as emissões que prejudicam o meio ambiente.

(Associated Press)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host