UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

16/07/2010 - 12h27

Preços no varejo em SP caem em junho, aponta Fecomercio

SÃO PAULO - Pela primeira vez no ano, a Fecomercio registrou queda nos preços praticados no varejo em São Paulo. O Indice de Preços no Varejo (IPV), apurado pela instituição, recuou 0,06% em junho comparado a maio, impulsionado principalmente pelos preços nos supermercados, que caíram 0,71%.

Nas feiras, os preços caíram 2,94%, na terceira variação negativa consecutiva. De acordo com a Fecomercio, todos os produtos que compõem o grupo ficaram mais baratos em junho.

"A maior parte dos preços dos produtos in natura estão sendo realinhados aos seus patamares regulares após terem sofrido pressão por conta das instabilidades climáticas do início do ano", diz o assessor econômico da Fecomercio, Guilherme Dietze.

O grupo Combustíveis e Lubrificantes também manteve a trajetória de queda, fechando junho com recuo de 1,22%. Os preços de produtos eletrônicos, por sua vez, caíram 1,03% no mês passado, enquanto os de informática recuaram 1,71%.

No segmento de telefonia, a queda foi de 1,15%, e produtos de imagem e som ficaram 0,71% mais baratos. Segundo a Fecomercio, a tendência de queda deve ser mantida por conta das liquidações que devem acontecer nesse período pós-Copa do Mundo. Nas drogarias e perfumarias, a redução de preços foi de 0,16%, enquanto nos açougues ficou em 0,22% e nas livrarias, em 0,23%.

Já os preços dos veículos subiram pelo terceiro mês consecutivo, refletindo o fim do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) reduzido. Em junho, a alta foi de 1,03%.

Vestuário, tecidos e calçados também ficaram mais caros em junho, subindo 0,74%. Nas padarias, o aumento de preços foi de 1,11% no mês passado, devido principalmente ao reajuste de 4,64% nos preços dos cigarros.

Materiais de construção tiveram aumento de 1,45%, enquanto móveis e decorações subiram 0,82%. Nas floriculturas e óticas os reajustes foram de 6,98% e 1,04%, respectivamente. Eletrodomésticos, por sua vez, ficaram 0,27% mais caros.

No primeiro semestre, os preços do varejo paulistano acumulam elevação de 1,62%.

(Francine De Lorenzo | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host