UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

19/07/2010 - 07h46

Copom e IPCA-15 são destaques na semana

SÃO PAULO - Os eventos domésticos são destaque na agenda de indicadores da semana. O ponto alto é a decisão de juros do Banco Central. Conforme a inflação corrente aponta para baixo, assim como alguns indicadores de atividade, o mercado volta mostrar divisão quanto ao tamanho do ajuste a ser aplicado na taxa Selic. O consenso ainda sugere nova elevação de 0,75 ponto, mas a curva futura embute uma probabilidade não desprezível para uma alta de 0,5 ponto percentual. Cabe lembrar que tal redução de ritmo já vinha sendo discutida, mas seria aplicável, apenas, no encontro de setembro. Antes da decisão do Copom, que sai na quarta-feira à noite, o foco estará voltado para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo - 15 (IPCA-15) de julho. As expectativas sugerem inflação ao redor de zero.

Nesta segunda-feira, nada além dos tradicionais boletim Focus (que deve mostrar nova redução nas expectativas de inflação), resultado semanal da balança comercial e Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). Esse índice, que mede a inflação na capital paulista, apontou alta de 0,12% na segunda quadrissemana de julho.

Na terça-feira, além do IPCA-15, a agenda doméstica reserva uma nova prévia para o Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) de julho. Já nos Estados Unidos é divulgada a construção de novas moradias em junho.

Na quarta-feira, enquanto aguardam a decisão do Copom, os investidores acompanham o discurso do presidente do Federal Reserve (Fed), banco central americano, Ben Bernanke, no Congresso.

Já na quinta-feira, atenção à taxa de desemprego brasileira no mês de junho. A agenda local ainda reserva a sondagem do consumidor da Fundação Getúlio Vargas e a nota de mercado aberto do BC. Nos EUA, Bernanke faz novo discurso e são apresentados os dados sobre a venda de imóveis usados no mês de junho.

A semana acaba com o foco voltado para Europa, pois está agendada para a sexta-feira a divulgação dos testes de estresse feitos nos bancos da região.

Na agenda corporativa mais algumas centenas de empresas americanas apresentam resultados, entre elas a Texas Instruments, Apple, Goldman Sachs, Johnson & Johnson, PepsiCo, Yahoo, eBay, Wells Fargo, Amazom.com, American Express, AT & T, Caterpillar, Microsoft, Xerox e Ford. Por aqui, NET, Natura e Tarpon apresentam o desempenho no segundo trimestre.

(Eduardo Campos | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host