UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

19/07/2010 - 20h34

Tucanos reagem à ameaça de PT com retomada do caso Lina Vieira

SÃO PAULO - Depois do PT anunciar ações contra o PSDB e o vice na chapa de José Serra (PSDB) à Presidência, deputado Indio da Costa (DEM-RJ), os tucanos resolveram contra-atacar. A primeira medida será encaminhar uma representação ao Procurador-Geral da República para ter acesso as imagens do circuito interno do Palácio do Planalto. Desta forma, o PSDB espera confirmar a suposta visita da ex-secretária da Receita Lina Vieira à ex-ministra da Casa Civil Dilma Rousseff. Na época, divulgou-se que a petista teria pedido a interferência de Lina nas investigações da Receita contra as empresas de Fernando Sarney, filho do presidente do Congresso Nacional, José Sarney (PMDB-AP). Em entrevista coletiva, na sede da campanha de Serra, o senador Álvaro Dias ressaltou que recebeu um e-mail no final do ano passado de um ex-funcionário do Palácio do Planalto, que alega que as imagens foram escondidas para não tornar público o encontro entre Lina e Dilma. A única prova até então era uma anotação da reunião na agenda da ex-secretária da Receita.

Segundo Dias, o ex-funcionário, que se chama Demétrios, teria desistido da denúncia porque teria recebido uma promessa de emprego no governo. Hoje, conforme o tucano, estaria trabalhando no Senado.

"Nós podemos estar diante de uma mentira oficial da maior gravidade. E quem mente desta maneira não está à altura de governar este país", disse Dias, que na ocasião, solicitou à Polícia Legislativa do Senado a investigação da denúncia. O contra-ataque foi feito no mesmo dia em que o presidente nacional do PT, José Eduardo Dutra, confirmou que o seu partido vai entrar com uma ação criminal e outra por danos morais contra Indio, que em entrevista ao site "Mobiliza PSDB", disse que o PT tinha ligações com o narcotráfico e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). Os petistas também vão apresentar uma outra ação contra o PSDB. Consideram que os tucanos também têm responsabilidade sobre o episódio, já que o site da legenda divulgou as declarações do vice.

O presidente nacional do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), afirmou que as representações do PT não preocupam, já que as declarações de Indio correspondem à verdade. "São fatos do conhecimento público que já mereceram dezenas de reportagens da imprensa brasileira. A relação das Farc com narcotráfico são tão conhecidas como as do PT com a organização", argumentou.

Guerra, no entanto, avaliou que a posição do vice não representa a opinião da campanha. Mesmo assim, aproveitou o espaço para tecer alguns elogios ao aliado. "Precisamos de renovação. Preferimos ele a outros candidatos a vice, pois tem uma ficha limpa", acrescentou. A outra medida judicial diz respeito ao pedido de investigação à Corregedoria-Geral da Receita e à Polícia Federal sobre o vazamento de dados fiscais sigilosos do vice-presidente do PSDB, Eduardo Jorge Caldas. "Queremos acompanhar o processo e requerer as diligências para acharmos o culpado. Não é a primeira vez que isso ocorre", disse Jorge. A coletiva foi marcada por críticas ao PT, Lula e Dilma. Segundo Guerra, o presidente abusa da propaganda e por isso Dilma teria hoje entre 30% e 40% das intenções de voto antes da campanha começar. "Lula acha graça das decisões da Justiça Eleitoral. Pede que seus amigos paguem as multas. Trata-se da ideia do custo benefício. Ele descumpre a lei e rouba votos para Dilma ao fazer ela conhecida", afirmou. (Fernando Taquari | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host