UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

20/07/2010 - 18h04

Ações da Vale disparam e levam Ibovespa a retomar os 64 mil pontos

SÃO PAULO - A disparada dos papéis do setor de siderurgia e mineração, com destaque para as ações da Vale, levou o mercado acionário brasileiro a se descolar do cenário externo e a fechar o dia com forte alta.

As perspectivas mais favoráveis de crescimento da atividade chinesa, o aumento dos preços do minério de ferro no mercado spot do país e declarações feitas pela própria Vale foram alguns dos fatores que motivaram as compras expressivas dos papéis pelos investidores.

O Ibovespa encerrou o pregão com valorização de 1,84% e marcou 64.462 pontos, na maior pontuação desde o dia 25 de junho. O movimento financeiro, inflado pelo giro da Vale, somou R$ 7,537 bilhões.

Já em Wall Street, as bolsas operaram em baixa durante a maior parte das operações, pressionadas por balanços mais fracos que o previsto de empresas como Goldman Sachs e IBM.

A inversão do rumo do mercado ocorreu na parte da tarde, com as bolsas também impulsionadas pelas ações de energia e metalurgia. Além disso, os rumores de que os Estados Unidos anunciarão novas medidas de estímulo à economia voltadas ao crédito também favoreceram o posicionamento dos agentes.

O índice Dow Jones fechou os negócios com alta de 0,74%, enquanto o Nasdaq se apreciou em 1,10%, e o S & P 500 apresentou valorização de 1,14%.

No âmbito corporativo doméstico, as ações PNA da Vale se valorizaram em 6,23%, a R$ 40,90, e movimentaram R$ 2,166 bilhões. Terceiro maior giro do dia, os papéis ON da empresa subiram 5,65%, para R$ 46,54, com total negociado de R$ 282,3 milhões.

Entre as notícias do dia, o diretor de vendas de minério de ferro para as Américas da Vale, Cláudio Alves, afirmou que a empresa acredita que os preços do minério de ferro no mercado spot da China terão uma recuperação no quarto trimestre, depois de registrarem uma acomodação no terceiro trimestre.

O executivo considera que a atual acomodação nos preços é sazonal, depois de o minério spot na China ter atingido US$ 187 por tonelada em maio. Atualmente, esse preço oscila ao redor de US$ 116 por tonelada, mas Alves não quis fazer projeções sobre o nível de recuperação que poderá ser atingido nos três últimos meses do ano.

Questionado sobre o atual nível de vendas da Vale, Alves destacou que a mineradora opera com capacidade máxima de produção, em torno de 300 milhões de toneladas por ano. "Temos visto o pessoal mais negativo em relação à demanda pelas commodities e à diminuição do ritmo de crescimento da economia chinesa. Agora, já se fala da retirada de algumas medidas implementadas pelo banco central chinês para conter a atividade e, além disso, os Estados Unidos poderão anunciar medidas de estímulo amanhã, o que será positivo para o setor", pontuou o estrategista da BGC Liquidez, Leonardo Bardese.

Além dos ativos da Vale, figuraram entre as principais altas do Ibovespa as ações PN da Bradespar (6,66%, a R$ 34,56), Embraer ON (6,13%, a R$ 10,2) e Fibria ON (5,7%, a R$ 26,33).

No setor de siderurgia, destaque ainda para Gerdau PN (3,92%, a R$ 24,38), Usiminas ON (4,98%, a R$ 51,98) e CSN ON (5,33%, a R$ 27,63). Os papéis PN da Petrobras ainda registraram ganhos de 2,59%, a R$ 27,65, com volume negociado de R$ 438,7 milhões.

No sentido oposto, as maiores quedas do Ibovespa partiram de papéis ligados ao cenário doméstico, como Rossi Residencial ON (-4,5%, a R$ 14,85), MRV ON (-3,63%, a R$ 14,56) e Cielo ON (-2,55%, a R$ 15,66).

(Beatriz Cutait | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host