UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

20/07/2010 - 14h00

Bolsas europeias caem após Hungria ter dificuldade em vender títulos

SÃO PAULO - Os mercados europeus marcaram novas baixas nesta terça-feira, diante da dificuldade da Hungria em colocar seus títulos e também em função de indicador fraco da economia americana.

Em Londres, o FTSE 100 terminou aos 5.139 pontos, com perda de 0,17%; em Paris, o CAC 40 recuou 0,53%, para 3.468 pontos; e em Frankfurt, o DAX perdeu 0,69%, para 5.967 pontos. Os investidores mais uma vez ficaram de olho nos indicadores americanos. Hoje, a atividade de construção de casas mostrou queda de 5% em junho, para uma taxa anualizada sazonalmente ajustada de 549 mil. A leitura de maio foi revisada para 578 mil unidades. No comparativo com junho de 2009, o indicador mostrou queda de 5,8%.

Também causou apreensão o fato de o leilão de títulos promovido pela Hungria não ter atraído demanda suficiente para colocar todo o lote planejado. O governo pretendia vender 45 bilhões de forints em papéis de três meses, mas conseguiu apenas 35 bilhões de forints (US$ 156 milhões). Isso significa menor interesse do mercado pela aquisição dos títulos ou pressão para que o juro pago pelo governo seja maior. Esse foi o primeiro leilão feito pelo governo húngaro depois de que a União Europeia e o Fundo Monetário Internacional (FMI) suspenderam as negociações quanto a um pacote de auxílio financeiro ao país.

Já a Irlanda, que teve seu rating soberano rebaixado ontem pela Moody´s, conseguiu colocar toda a emissão de 1,5 bilhão de euros em títulos públicos de seis e dez anos em leilão realizado hoje.

No plano corporativo, as atenções estiveram novamente voltadas aos balanços. Hoje, o Goldman Sachs reportou queda de 82% no lucro líquido do segundo trimestre para US$ 613 milhões. O resultado foi fortemente abalado por despesas extraordinárias - uma, de US$ 600 milhões, para impostos no Reino Unido e outra, de US$ 550 milhões, em acordo com a Securities and Exchange Comission (SEC, órgão regulador do mercado dos EUA).

Ontem, a IBM trouxe lucro 9,1% maior no trimestre, para US$ 3,386 bilhões, e a Texas Instruments mostrou ganho de US$ 769 milhões, o triplo de um ano antes. Ainda assim, os papéis ligados a tecnologia recuaram, como Infineon, que caiu 1,3%.

As altas do dia foram lideradas pelas ações ligadas a commodities, caso de BHP, que avançou 2,2% e Rio Tinto, que fechou em alta de 3,6%.

As ações da Nokia subiram 3% diante da notícia do Wall Street Journal, de que a empresa poderá substituir seu presidente, Olli-Pekka Kallasvuo.

(Téo Takar | Valor, com agências internacionais)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host