UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

20/07/2010 - 15h57

Papéis de siderurgia e mineração puxam alta do Ibovespa neste pregão

SÃO PAULO - Focado no cenário interno, especificamente nas notícias relacionadas ao setor de siderurgia e mineração, o investidor segue atuando com força na ponta compradora da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa).

Por volta das 16h, o Ibovespa subia 1,49%, para 64.237 pontos, com giro financeiro equivalente a R$ 5,954 bilhões. Nos Estados Unidos, as bolsas inverterem o rumo e passaram a operar no azul, mas permanecem com um desempenho muito mais fraco que o do mercado brasileiro.

Há pouco, o índice Dow Jones avançava 0,27%, o Nasdaq se apreciava em 0,26% e o S & P 500 tinha apreciação de 0,54%.

De volta ao ambiente local, destaque do dia, os papéis PNA da Vale subiam 5,42%, para R$ 40,59, e movimentavam R$ 1,873 bilhão, enquanto as ações ON avançavam 5,06%, para R$ 46,28, com giro financeiro de R$ 218 milhões.

O analista da investimentos da Spinelli, Max Bueno, destaca alguns fatores para explicar o apetite dos investidores pelos papéis da mineradora, entre os quais a perspectiva de aumento dos preços do contrato do próximo trimestre e a proximidade da divulgação do balanço apurado entre abril e junho.

"O resultado deve mostrar uma combinação de maiores volumes, com a conclusão do projeto de Carajás, e preços melhores, o que deve resultar numa melhora de margem para a companhia. Além disso, as ações da Vale chegaram em um nível bem próximo de seu suporte, com um esgotamento dos indicadores técnicos nas últimas semanas, o que contribui para sua valorização", diz Bueno.

Segundo ele, a apreciação das ações ainda encontra respaldo na preferência e na troca feita pelos investidores dos papéis da Petrobras pelos da Vale, em função da indefinição do processo de capitalização da estatal.

O superintendente de metais do Bradesco, Raphael Biderman, ainda ressalta a alta do preço do minério de ferro no mercado spot chinês, que atingiu 3% nesta terça-feira.

"No curto e no médio prazo, esa recuperação dos preços é consistente, mas ainda há riscos no cenário de longo prazo", pontua Biderman, que ressalta ainda a possibilidade de um aumento do imposto sobre a exportação de minério pelo governo da Índia.

O diretor de vendas de minério de ferro para as Américas da Vale, Cláudio Alves, afirmou hoje que considera que a atual acomodação nos preços de minério de ferro é sazonal, depois de o minério spot na China ter atingido US$ 187 por tonelada em maio. Atualmente, esse preço oscila ao redor de US$ 116 por tonelada, mas Alves não quis fazer projeções sobre o nível de recuperação que poderá ser atingido nos três últimos meses do ano.

O executivo ainda afirmou que a Vale acredita que os preços do minério de ferro no mercado spot da China sofrerão uma recuperação no quarto trimestre, depois de terem registrado uma acomodação no terceiro trimestre.

No setor siderúrgico, o destaque positivo desta jornada partia, há instantes, de Usiminas PNA (3,77%, a R$ 50,55), Gerdau PN (3,28%, a R$ 24,23) e CSN ON (4,42%, a R$ 27,39).

A World Steel Association divulgou nesta terça-feira que a produção mundial de aço bruto atingiu 119 milhões de toneladas em junho, um aumento de 18% em relação ao mesmo mês de 2009.

No acumulado do primeiro semestre, foram produzidas 706 milhões de toneladas de aço bruto, 27,9% a mais do que em igual período do ano passado. Todas as regiões analisadas apresentaram aumento da produção no semestre, apontou a World Steel, que reúne dados de 66 países, inclusive do Brasil.

Ainda entre as ações de maior peso sobre o Ibovespa, as ações PN da Petrobras subiam 2,37%, para R$ 27,59, enquanto OGX Petróleo ON se apreciava em 1,27%, a R$ 18,20.

Contrariando o movimento visto recentemente, as ações ligadas ao setor de construção lideram as perdas do Ibovespa. Enquanto PDG Realty ON recuava 2,77%, para R$ 17,16, MRV ON cedia 4,36%, a R$ 14,45, e Rossi Residencial ON tinha baixa de 4,56%, a R$ 14,84.

(Beatriz Cutait | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host