UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

20/07/2010 - 12h40

Taxa de juros média do cheque especial ultrapassa 9%, diz Procon-SP

SÃO PAULO - As taxas de juros ao consumidor subiram novamente em julho, constatou o Procon-SP. Com a terceira alta consecutiva, a taxa média cobrada por bancos para o cheque especial, por exemplo, chega a 9,06% ao mês, após acréscimo de 0,16 ponto percentual em julho.

TAXAS MÉDIAS DOS JUROS NO CHEQUE ESPECIAL*

Banco Taxa
Safra 12,30%
Real 9,66%
Santander 9,66%
HSBC 9,36%
MÉDIA 9,06%
Itaú 8,65%
Unibanco 8,65%
Bradesco 8,36%
Banco do Brasil 7,75%
Caixa Econômica 7,15%
  • *Os valores são médios e variam de banco para banco, podendo ser maiores ou menores, conforme a relação do cliente com a instituição


Três instituições financeiras elevaram a taxa de juros para essa modalidade: Banco do Brasil (de 7,69% para 7,75%); Bradesco (de 8,30% para 8,36%); e Itaú Unibanco (de 8,59% para 8,65%).

No caso do empréstimo pessoal, a taxa média dos bancos pesquisados está em 5,42% ao mês, com acréscimo de 0,14 ponto percentual. Três instituições foram responsáveis pelo aumento: Banco do Brasil (de 4,68% para 5,28%); Bradesco (de 5,40% para 5,46%); e HSBC (de 4,83% para 4,87%).

Os valores são médios e variam de banco para banco, podendo ser maiores ou menores, conforme a relação do cliente com a instituição

O Procon-SP considera que o processo de elevação da taxa básica de juros já mostra reflexos no custo do crédito para o consumidor final.

O Comitê de Política Monetária (Copom) iniciou sua trajetória de aperto monetário em abril, reiterada na reunião de junho. Nesta terça-feira, os conselheiros do Banco Central (BC) se encontram novamente para deliberar sobre a Selic, que está atualmente em 10,25% ao ano.

TAXAS MÉDIAS DOS JUROS PARA EMPRÉSTIMOS PESSOAIS*

BancoTaxa
Itaú5,86%
Unibanco5,86%
Real5,63%
Santander5,63%
Bradesco5,46%
MÉDIA5,42%
Safra5,40%
Banco do Brasil5,28%
HSBC4,87%
Caixa Econômica4,78%
  • *Os valores são médios e variam de banco para banco, podendo ser maiores ou menores, conforme a relação do cliente com a instituição

As apostas dos economistas ouvidos pelo Valor divergem entre a continuidade de alta a passos de 0,75 ponto porcentual, e uma elevação mais branda, de 0,50 ponto.

De acordo com dados do BC, o cheque especial tem perdido adeptos. Mas para o Procon-SP, isso é motivo de alerta, pois os clientes têm migrado para uma opção ainda mais cara, o cartão de crédito.

"Se a tomada de crédito for realmente inadiável, o recomendável é procurar informações sobre as alternativas mais baratas como, por exemplo, o empréstimo pessoal, na modalidade crédito consignado", recomenda a instituição.

A pesquisa do Procon-SP foi realizada em 5 de julho, e levou em conta as taxas praticadas por Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, HSBC, Itaú Unibanco, Real, Safra e Santander para um contrato de 12 meses.

Os dados coletados referem-se a taxas máximas pré-fixadas para clientes não preferenciais.

(Ana Luísa Westphalen | Valor)

 

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host