UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

26/07/2010 - 15h52

Serra diz que invasões do MST aumentarão se Dilma for eleita

O candidato do PSDB à Presidência, José Serra, afirmou hoje que as invasões de terra pelo Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) vão aumentar nos próximos anos se a sua adversária, Dilma Rousseff (PT), for eleita nas eleições de outubro.

Segundo o tucano, o movimento já teria anunciado, por meio de João Pedro Stédile, que apoiará a candidata do PT. "Com ela, eles vão se sentir mais à vontade para fazer invasões e agitações", disse o tucano, que prometeu cortar o envio de dinheiro para ONGs, para que as mesmas não repassem os recursos ao MST. "O que não está correto é dar dinheiro do governo para isso. O MST não é para a reforma agrária que ele existe", disse Serra num evento promovido pelo LIDE - grupo de líderes empresariais.

Serra ainda criticou a política externa do governo de Luiz Inácio Lula da Silva ao declarar que o Brasil faz filantropia com o Paraguai e esquece de Estados carentes, como o Piauí e Maranhão.

Ao se referir ao Paraguai, o candidato reclamou do contrato estabelecido entre os dois países em torno da hidrelétrica de Itaipu. Além disso, reprovou a aproximação da diplomacia brasileira com "ditadores", como o presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad. "Política externa não pode ser um partido. É inegável que o Brasil, sempre teve mais simpatia pelo Chavez, e a Venezuela abriga integrantes das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc)", afirmou o ex-governador de São Paulo. Ao falar de direitos humanos, Serra defendeu que o Brasil utilize a proximidade com Cuba para ajudar no processo de libertação dos presos políticos.

(Fernando Taquari | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host