UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

04/08/2010 - 16h17

Juros longos têm novo pregão de alta

SÃO PAULO - Os contratos de juros futuros marcam novo pregão de alta nesta quarta-feira. Segundo o estrategista de renda fixa da Coinvalores, Paulo Nepomuceno, os contratos dão sequência ao ajuste iniciado ontem. "Falta prêmio para incentivar o vendedor, o que faz a curva subir", explica.

Ainda de acordo com Nepomuceno, depois das mínimas registradas nos últimos pregões, parecia que o mercado tinha esquecido de uma série de riscos que cercam o cenário e influenciam a condução da política monetária, como quem será o próximo presente e qual será a composição do próximo Banco Central. Antes do ajuste final de posições na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM & F), o contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) com vencimento em janeiro de 2012, o mais líquido do dia, subia 0,07 ponto, a 11,67%. Janeiro de 2013 apontava alta de 0,06 ponto, a 11,96%. E janeiro 2014 ganhava 0,03 ponto, a 11,95%.

Entre os curtos, setembro de 2010 registrava estabilidade a 10,64%. Outubro de 2010 não tinha alteração subia 0,01 ponto, a 10,72%. E janeiro de 2011 também apontava alta de 0,01 ponto, a 10,82%.

Até as 16h10, foram negociados 717.345 contratos, equivalentes a R$ 62,65 bilhões (US$ 35,61 bilhões), montante 14% menor do que o registrado ontem. O vencimento janeiro de 2012 foi o mais negociado, com 285.275 contratos, equivalentes a R$ 24,43 bilhões (US$ 13,88 bilhões).

Na agenda do dia, os Indicadores Industriais da Confederação Nacional da Indústria (CNI). As vendas reais da indústria caíram 0,6% em junho, na série com ajuste sazonal. Já na série sem ajuste, as vendas cresceram 0,6%. No semestre foi registra alta anual de 12% nas vendas.

Já o nível de utilização da capacidade ficou em 82,5% em junho, leve recuou frente os 82,7% de maio, em termos dessazonalizados. Já na série sem ajuste o índice marcou 82,7% em junho, contra 83,3% em maio.

(Eduardo Campos | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host