UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

04/08/2010 - 18h01

Petrobras volta a contribuir e Ibovespa fecha pregão no azul

SÃO PAULO - Impulsionado mais uma vez pelos papéis da Petrobras e também por ações do setor de siderurgia e mineração, o mercado acionário brasileiro fechou o pregão desta quarta-feira no campo positivo e o Ibovespa recuperou os 68 mil pontos.

Em um pregão marcado pela volatilidade do Ibovespa, que oscilou entre 67.577 e 68.534 pontos, o índice teve alta de 0,40%, aos 68.272 pontos. O giro financeiro atingiu R$ 6,137 bilhões.

Em Wall Street, as bolsas também fecharam no azul. Enquanto o índice Dow Jones subiu 0,41%, o S & P 500 registrou ganho de 0,61% e o Nasdaq avançou 0,88%.

O dia foi positivo em termos de indicadores econômicos divulgados nos Estados Unidos.
A ADP, empresa que processa folhas de pagamento, mostrou dados melhores que o previsto do mercado de trabalho do país.

O setor privado não agrícola registrou a criação de 42 mil postos de trabalho entre junho e julho, em uma base ajustada sazonalmente, um número que superou as estimativas do mercado. O resultado é considerado uma prévia dos números oficiais do "payroll".

Já o levantamento mensal do Institute for Supply Management (ISM) apontou que a atividade do segmento de serviços dos Estados Unidos cresceu em julho, pelo sétimo mês consecutivo, e em ritmo mais acelerado do que o do mês anterior.

O indicador que mede o desempenho do setor ficou em 54,3 pontos, acima da marca de 50, que separa o crescimento da contração. Em junho, a leitura apurada foi de 53,8 pontos.

O analista da Leme Investimentos, João Pedro Brugger, chama atenção para o volume movimentado na Bovespa, que seguiu forte, o que sinaliza que o investidor segue otimista com o mercado.

Além dos dados americanos, que contribuíram para um novo dia de ganhos do Ibovespa, Brugger aponta para a nova alta dos papéis da Petrobras. As ações PN da estatal subiram pelo quarto dia, ao registrarem apreciação de 0,89%, a R$ 29,34, com giro de R$ 613,4 milhões.

"Os papéis ainda estão com um ajuste natural, tendo em vista a forte queda do ano. O momento é de recuperação, mesmo com o cenário adverso com a capitalização e com os incidentes no Golfo do México. A reação do mercado foi muito exagerada", pontuou Brugger.

Ainda entre os principais giros do dia figuraram as ações Vale PNA (-0,27%, a R$ 43,94), com volume de R$ 624,3 milhões, e Itaú Unibanco PN (-1,71%, a R$ 37,84), com total movimentado de R$ 306,4 milhões.

Nesta jornada, os destaques positivos do Ibovespa partiram mais uma vez dos papéis ON da mineradora MMX, que dispararam 5,19%, para R$ 13,36.

A companhia confirmou hoje que "mantém entendimentos" com diversas empresas e instituições financeiras sobre a venda de seus ativos, mas que ainda não concretizou qualquer negociação relacionada à alienação do negócio de extração de minério de ferro.

A resposta seguiu as notícias de que Eike Batista estaria negociando a venda dos ativos da MMX, sendo que a ArcelorMittal, maior siderúrgica do mundo, seria uma das interessadas no negócio.

O negócio também incluiria o projeto do porto Sudeste, desenvolvido pela LLX - braço de logística do grupo EBX - para escoar a produção das minas de minério de ferro.

Matéria publicada hoje pelo Valor revelou que a Usiminas também seria outra potencial interessada no porto Sudeste (ao lado de seu terminal) e que a própria siderúrgica informou que vinha avaliando uma parceria com a LLX como uma das várias alternativas ao seu projeto.

Os papéis ON da LLX subiram 2,21%, para R$ 9,24, e as ações PNA da Usiminas avançaram 3,26%, para R$ 51,85.

Ainda entre as principais altas do índice estiveram as ações Tim Participações PN (3,97%, a R$ 5,23), Braskem PNA (3,86%, a R$ 13,98) e OGX ON (3,33%, a R$ 18,59).

Na direção oposta, as maiores quedas do Ibovespa partiram das ações PNA do Pão de Açúcar (-3,25%, a R$ 56,15), seguidas pelos papéis Telemar ON (-2,32%, a R$ 31,55) e Gafisa ON (-1,59%, a R$ 12,94), além dos papéis do Itaú.

A Gafisa teve lucro de R$ 97,27 milhões no segundo trimestre, superando em 68,4% o resultado líquido de igual período de 2009 (R$ 57,77 milhões). Na mesma base de comparação, a receita líquida da companhia teve alta de 31,4%, para R$ 927,4 milhões.

No setor aéreo, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) revelou que a multa que será dada à Gol pelos recentes problemas nas operações da empresa deverá atingir R$ 2 milhões. Além disso, o órgão regulador proibiu a companhia de fechar contratos para novos voos fretados até que a situação esteja normalizada. Só poderão ser realizados fretamentos já contratados.

Os papéis PN da empresa recuaram 0,08%, para R$ 23,9.

(Beatriz Cutait | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host