UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

04/08/2010 - 14h08

Volátil, Ibovespa volta a subir no pregão

SÃO PAULO - Com um desempenho volátil ao longo desta jornada, o Ibovespa voltou a ensaiar uma recuperação nos negócios, em um dia de alta das bolsas americanas. Próximo das 14h10, o Ibovespa subia 0,10%, aos 68.062 pontos, e girava R$ 3,38 bilhões.

Em Wall Street, há pouco, o índice Dow Jones tinha valorização de 0,26%, enquanto o Nasdaq se apreciava em 0,57% e o S & P 500 apurava ganho de 0,30%. Apesar dos indicadores favoráveis de trabalho e do setor de serviços dos Estados Unidos, o mercado brasileiro apresenta um movimento mais fraco, com o peso do setor bancário e dos papéis da Vale.

Além disso, os investidores ainda estão de olho numa realização dos lucros, tendo em vista a valorização de 9,91% apurada pelo Ibovespa entre os dias 19 de julho e 2 de agosto.

No ambiente corporativo, há pouco, os papéis PNA da Vale recuavam 0,24%, para R$ 43,95, enquanto as ações PN da Petrobras subiam 0,89%, para R$ 29,34.

Entre as principais altas do Ibovespa figuravam as ações ON da mineradora MMX (5,19%, a R$ 13,36), além dos papéis PNA da Braskem (2,60%, a R$ 13,81) e PN da Tim Participações (2,58%, a R$ 5,16).

A MMX - braço de mineração do grupo do empresário Eike Batista (EBX) - confirmou hoje que "mantém entendimentos" com diversas empresas e instituições financeiras sobre a venda de seus ativos, mas que ainda não concretizou qualquer negociação relacionada à alienação do negócio de extração de minério de ferro.

Em ofício enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a mineradora citou que o processo de consolidação no setor poderá render à companhia importantes oportunidades de negócio.

A resposta segue as notícias de que Eike Batista estaria negociando a venda dos ativos da MMX, sendo que a ArcelorMittal, maior siderúrgica do mundo, seria uma das interessadas no negócio.

O negócio também incluiria o projeto do porto Sudeste, desenvolvido pela LLX - braço de logística do grupo EBX - para escoar a produção das minas de minério de ferro.

Sobre o tema, a LLX também enviou ofício à CVM em que diz estar atenta a oportunidades de negócios, o que pode envolver a alienação de ativos relevantes. "A companhia ressalta, todavia, que até o presente momento nenhuma destas oportunidades se concretizou na forma da venda do Porto Sudeste", esclarece a empresa. Instantes atrás, as ações ON da LLX subiam 2,21%, a R$ 9,24.

Já as principais baixas do Ibovespa partiam de Cyrela Realty ON (-2,12%, a R$ 24,42), Pão de Açúcar PNA (-2,99%, a R$ 56,30) e Telemar ON (-3,68%, a R$ 31,11).

(Beatriz Cutait | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host