UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

05/08/2010 - 12h37

Embratel se antecipa a aprovação de lei com oferta por ações da Net

SÃO PAULO - A Embratel decidiu se adiantar no processo de incorporação da Net, segundo a avaliação de analistas, sobre a oferta pública voluntária (OPA) para adquirir 100% das ações preferenciais da empresa de TV por assinatura, acesso à internet e telefonia.

Na avaliação do especialista Eduardo Tude, sócio e presidente da consultoria Teleco, o movimento confirma o que já era esperado pelo mercado com a integração das operadoras Claro e Embratel, pertencentes ao grupo mexicano América Móvel, do empresário Carlos Slim, confirmada em junho. "A estratégia faz parte do plano de integração de serviços operações do grupo (serviços de telefonia móvel, fixa, banda larga e TV a cabo) na América Latina", lembra o consultor.

Para que a operação da Net seja efetivamente absorvida pelo grupo, no entanto, é necessário que seja aprovado o projeto de lei complementar 116/10 (antes conhecido como PL 29), que libera a entrada de capital estrangeiro no controle de empresas de comunicação no país, hoje restrita pela Lei do Cabo (8.977/95).

"A ideia é que a empresa já esteja pronta para fechar o capital da Net e incorporá-la à Embratel assim que o projeto de lei for aprovado", afirma Tude.

A visão de que a oferta faz parte do plano de integração das empresas de Carlos Slim é compartilhada pela corretora Brascan. Em relatório, a analista Beatriz Battelli também lembra que a aprovação do projeto de lei eliminará impedimentos legais "e permitirá que a Embratel passe a ter o controle da Net".

Atualmente, a empresa é controlada pela GB Empreendimentos e Comunicações, empresa formada pela Globo Comunicações e Participações S.A com 51% do capital e pela Telmex (incorporada pela América Móvil) com 49%.

O leilão para a oferta da Embratel aos acionistas preferenciais da Net ainda não tem data marcada, mas o preço oferecido já foi fixado em R$ 23. Caso todos os acionistas aceitem a proposta, o valor desembolsado pela Embratel será de cerca de R$ 4,57 bilhões, segundo fato relevante publicado nesta quinta-feira.
O preço oferecido é 22% inferior ao preço-alvo de R$ 29,57 calculado pela Brascan para o papel. Isso leva a analista a prever que "o nível de adesão à proposta atual deverá ser baixo". Beatriz ressalva, contudo, que a Embratel pode melhorar a oferta, "com o objetivo de aumentar a aceitação dos acionistas".

(Daniela Braun | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host