UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

06/08/2010 - 11h40

DIs têm queda generalizada na BM & F, após IPCA de julho

SÃO PAULO - Embora não tenha surpreendido o mercado, o número fraco registrado pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em julho contribui para uma queda generalizada dos contratos de Depósitos Interfinanceiros (DIs) na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM & F).

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a inflação medida pelo IPCA atingiu apenas 0,01% em julho, depois de ter apresentado variação nula em junho. O número reforça uma expectativa de encerramento do ciclo de aperto monetário na próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), marcada para o início de setembro.

Há pouco, na ponta mais longa da curva de juros futuros, o DI com vencimento em janeiro de 2012 recuava 0,01 ponto percentual, para 11,56%, enquanto o DI do primeiro mês de 2013 perdia 0,06 ponto, a 11,83%. O contrato do primeiro mês de 2014 ainda recuava 0,02 ponto, para 11,88%.

Já entre os vencimentos mais curtos, o DI com vencimento em outubro de 2010 perdia 0,025 ponto, a 10,705%, enquanto o DI de janeiro de 2011 cedia 0,03 ponto, a 10,77%.

Na avaliação do Banco Fator, o IPCA do mês passado reforçou sua expectativa de que o Copom deva elevar a taxa Selic em apenas 0,25 ponto percentual na próxima reunião, observando os dados melhores de inflação corrente.

"Entretanto, o fato de o hiato do produto ainda estar positivo, associado às expectativas de inflação ainda elevadas e choques de preços de commodities, devem fazer o Copom ter de retomar a alta na taxa Selic no ano que vem", apontou a instituição, em relatório.

André Perfeito, economista da Gradual Investimentos, também acredita que a continuação de uma inflação baixa em julho contribui para o fim do ciclo no próximo encontro do Copom.

"Ainda não mudamos nosso cenário base e acreditamos que o colegiado do Banco Central deve fazer mais uma alta de 50 pontos base na Selic" ressaltou.

No front externo, também contribuem para o declínio dos DIs os dados mais fracos que o previsto do mercado de trabalho americano.

A economia dos Estados Unidos perdeu 131 mil postos de trabalho em julho, enquanto a taxa de desemprego do país ficou estável em 9,5%.
(Beatriz Cutait | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host