UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

10/08/2010 - 14h33

Ibovespa recua 1,29%, à espera do Fed

SÃO PAULO - À espera da reunião de política monetária do Federal Reserve (Fed), o banco central dos Estados Unidos, e de olho principalmente no comunicado a ser divulgado após o encontro, o mercado acionário permanece operando no vermelho no pregão desta terça-feira.

Dados mais fracos que o esperado referentes à balança comercial chinesa dão o tom negativo do dia e estimulam um movimento de aversão a risco, que leva os investidores a fugirem das commodities e das bolsas.

No Brasil, o Ibovespa "se esforça" para defender a linha dos 67 mil pontos, mas sofre uma pressão da maior parte dos ativos.

Próximo das 14h30, o principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) recuava 1,29%, para 66.983 pontos, e girava R$ 2,76 bilhões. Este é o terceiro pregão seguido de baixa do Ibovespa.

Em Wall Street, as vendas dos investidores também prevalecem sobre as compras nas bolsas. Instantes atrás, enquanto o índice Dow Jones tinha desvalorização de 1,07%, o Nasdaq se depreciava em 1,89% e o S & P 500 apurava perda de 1,25%.

Na Europa, o mercado já encerrou os negócios em queda, com destaque para as perdas de mais de 1% registradas pelas bolsas alemã e francesa.

No mercado local, minutos atrás, os papéis da Petrobras caíam 1,35%, a R$ 28,44, enquanto as ações PNA da Vale cediam 1,85%, a R$ 43,33. Entre as maiores altas do Ibovespa estavam as ações Telemar PN (1,52%, a R$ 25,24), Cosan ON (0,99%, a R$ 24,47 e Lojas Renner ON (0,89%, a R$ 52,91).

Na trajetória oposta, destaque negativo para os papéis Natura ON (-2,89%, a R$ 42,97), Tim Participações PN (-3,20%, a R$ 5,13) e MMX ON (-4,13%, a R$ 12,75). Ainda entre as maiores baixas estavam as ações PNA da Braskem, com queda de 2,57%, a R$ 13,22.

A empresa registrou lucro líquido consolidado de R$ 45 milhões no segundo trimestre, bem menor do que o total de R$ 1,156 bilhão registrado em igual intervalo de 2009.

A companhia ainda revelou que planeja realizar ainda neste ano uma emissão de eurobônus para melhorar o perfil de sua dívida. Fora do índice, destaque para as ações PN da Marcopolo, com valorização de 1,66%, a R$ 9,76.

A empresa apurou lucro líquido consolidado de R$ 79,1 milhões entre abril e junho, com alta de 134,7% sobre o mesmo período de 2009. Já receita consolidada líquida avançou 53%, para R$ 727,7 milhões.

A fabricante ainda elevou as projeções de desempenho para 2010. A previsão de receita líquida consolidada subiu de R$ 2,55 bilhões para R$ 2,8 bilhões, e a estimativa de produção física foi revista de 24,7 mil para 26,5 mil unidades.

A Ativa Corretora considerou o resultado trimestral da Marcopolo positivo e ressaltou que as perspectivas para a companhia são favoráveis, tendo como principais drivers a necessidade de renovação da frota nacional e a possibilidade de expansão dos mercados de atuação no exterior, principalmente, Índia e Egito.

A instituição recomenda a compra dos papéis PN da Marcopolo, com preço-alvo de R$ 11,10 para dezembro.

No mercado cambial, a moeda americana registra valorização em relação às principais divisas, inclusive a brasileira. Há pouco, o dólar comercial subia 0,68%, a R$ 1,764 na venda.

(Beatriz Cutait | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host