UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

10/08/2010 - 20h07

Movimento em rodovias com pedágio cresce 1,8% em julho

SÃO PAULO - O movimento nas rodovias pedagiadas cresceu 1,8% em julho na comparação com junho, segundo o índice ABCR, divulgado pela Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias em conjunto com a Tendências Consultoria Integrada.

O fluxo de veículos pesados aumentou 1,5% em relação a junho, em termos dessazonalizados. "O número forte dos pesados indica retomada da produção industrial, que deve ser a tendência deste terceiro trimestre. Tudo indica a volta da expansão da produção industrial e o término do período de ajuste do fim dos incentivos fiscais, ocorrido em março", afirma Bernardo Wjuniski, economista da Tendências.

O movimento de veículos leves cresceu 1,8% na mesma base de comparação. "Existe uma mudança na sazonalidade das férias por conta de um consumidor que acumulou maior poder aquisitivo ao longo dos anos. Tem mais pessoas com carro e mais gente podendo gastar com viagens nas férias do que havia nos anos anteriores", afirma Wjuniski.
"Podemos observar também que o fluxo de leves inclui, em certa medida, pessoas que usam carro para trabalhar e isso, de alguma forma, com a melhora da atividade econômica, impacta positivamente o resultado dos leves", comenta o economista em nota.
Em relação a julho de 2009, o fluxo total de veículos apresentou expansão de 9,5%, enquanto o de pesados cresceu 11,4% e o de leves apresentou alta de 8,9%. Nos últimos doze meses, a alta foi de 6,1% no volume total, de 6,0% no fluxo de leves e de 6,3% no movimento de pesados.

Na análise de julho, foram incluídas dez novas praças de pedágio. Seis delas são da concessionária Nascentes das Gerais, que administra trecho de 371,4 quilômetros de rodovias, entre Juatuba e São Sebastião do Paraíso, em Minas Gerais, e que passam a compor o indicador. As outras quatro praças, localizadas em São Paulo e Rio Grande do Sul, pertencem a concessionárias já integradas ao Índice ABCR.
"As inclusões se deram no sentido de tornar o Índice mais abrangente e fiel a movimentação nas estradas. Porém, devido ao volume pequeno de fluxo que as dez novas praças representam, o Índice sofreu poucas alterações", afirmou Wjuniski.

(Téo Takar | Valor)
Hospedagem: UOL Host