UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

11/08/2010 - 21h42

Despesas financeiras afetam resultado da Triunfo

SÃO PAULO - A Triunfo Participações e Investimentos, empresa dos segmentos rodoviário, portuário e de geração de energia elétrica, reportou perdas de R$ 4,44 milhões no segundo trimestre deste ano, ante lucro de R$ 20,2 milhões registrados no mesmo período do ano passado. O resultado foi prejudicado pelas despesas financeiras líquidas de R$ 20,4 milhões, um aumento de 253% contra o ganho financeiro de R$ 13,3 milhões do mesmo trimestre do ano passado.

O lucro bruto no segundo trimestre deste ano somou R$ 46,1 milhões, ante R$ 32,8 milhões obtidos no trimestre do ano passado. A receita operacional líquida somou R$ 117,7 milhões, alta quando comparado ao mesmo período do ano passado, quando totalizou R$ 91,6 milhões. A receita operacional bruta totalizou R$ 129,2 milhões, alta de 22% quando comparado ao resultado do trimestre do ano passado de R$ 100,1 milhões. Os dados apresentados levam em consideração a geração de energia da usina de Salto, administrada pela Rio Verde.

A dívida bruta consolidada da Triunfo no segundo trimestre de 2010 foi de R$ 536,9 mil, um aumento de 10,8% quando comparada com a dívida do primeiro trimestre deste ano, principalmente em decorrência das captações realizadas junto ao Banco do Brasil e Santander para fazer frente a novos investimentos.

A empresa informa em seu balanço que o crescimento da receita bruta deve-se ao aumento de 14,5% na arrecadação de pedágio, em relação ao mesmo período do ano anterior, atingindo R$ 107.334 mil. Houve também aumento de 4,1% na tarifa média efetiva, que passou de R$ 6,30 para R$ 6,56, e de 10,0% no tráfego, que totalizou 16.358 mil veículos, no segundo trimestre deste ano, ente 14.877 no mesmo período do ano passado. As concessionárias que fazem parte do grupo - Concer, Concepa e Econorte -, no comparativo do mesmo período, apresentaram crescimentos de 7,9%, 11,5% e 10,9%, respectivamente.

Na operação portuária, a empresa registrou crescimento de 54,9% na receita da operação em portos devido ao aumento de 40,6% na movimentação de contêineres, atingindo 137.631 TEUs2, e de 65,6% nas outras receitas de operação portuária. O resultado foi puxado pelo desempenho da Portonave. Quanto à geração de energia no segundo trimestre deste ano, o total gerado foi de 47.188 megawatt (MW), o que gerou uma receita de R$ 6,388 mil.

A empresa considera o encerramento do segundo trimestre como uma marca na consolidação das atividades devido, principalmente, à entrada em operação da usina de Salto no final de maio. E, agosto a empresa recebeu autorização para iniciar os testes na segunda turbina, o que deverá ocorrer nos próximo 30 dias.

Outro ponto de destaque para a empresa foi a vitória no leilão A-5 da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) no final de julho. Pela tarifa de R$ 107,98 por MW/hora, foram vendidas 70% da energia assegurada da Usina Hidrelétrica Garibaldi. A empresa passou com isso a ter o direito de explorar a usina pelo prazo de 35 anos, a contar da assinatura do contrato que deve ocorrer em dezembro de 2010. O início de geração da primeira turbina deverá ocorrer até 30 de outubro de 2014.

(Tatiana Schnoor | Valor)
Hospedagem: UOL Host