UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

11/08/2010 - 11h07

Ibovespa cai pelo 4º dia e marca 66.202 pontos; dólar vai a R$ 1,769

SÃO PAULO - Uma nova rodada de preocupação do mercado com a economia americana e com indicadores chineses estimulou as vendas nas bolsas mundiais.

No Brasil, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) não escapa desse movimento de aversão a risco e registra baixa pelo quarto pregão consecutivo.

Por volta das 11h, o Ibovespa recuava 1,52%, para 66.202 pontos, e girava R$ 1,1 bilhão.

Na BM & F, o índice futuro, com vencimento em agosto, cedia 1,64%, para 66.335 pontos.

Ontem, o Ibovespa perdeu 0,94%, aos 67.223 pontos, e movimentou R$ 5,16 bilhões.

Em Wall Street, as bolsas também abriram as operações no vermelho. Instantes atrás, o índice Dow Jones tinha depreciação de 1,69%, enquanto o Nasdaq se desvalorizava em 2,16% e o S & P 500 recuava 1,88%.

Nesta jornada, novos números da economia chinesa reforçam as preocupações do mercado com a desaceleração do país.

Entre as surpresas divulgadas, destaque para a taxa anual de crescimento das vendas no varejo. Em julho, a taxa anual de expansão da atividade varejista foi de 17,9%, abaixo dos 18,3% vistos em junho e dos 18,5% projetados.

Além disso, os investimentos em ativos fixos em áreas urbanas na China ainda terminaram os sete primeiros meses de 2010 em 11,9 trilhões de yuan, um aumento de 24,9% ante o mesmo período de 2009. A taxa é menor que a expansão de 25,5% registrada no primeiro semestre.

No campo inflacionário, embora o índice de preços ao consumidor na China tenha registrado um aumento de 3,3% no mês passado na comparação anual, em linha com as expectativas, a inflação anual no atacado foi de 4,8%. O número veio abaixo dos 6% estimados pelos analistas.

Já a produção industrial do país aumentou a uma taxa anual de 13,4% em julho, percentual ligeiramente inferior aos 13,7% registrados no mês anterior. O resultado correspondeu às projeções.

Nos Estados Unidos, a sinalização dada ontem pelo Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos) de enfraquecimento econômico ganhou força nesta quarta-feira.

O Departamento do Comércio americano revelou que o déficit comercial do país atingiu US$ 49,9 bilhões em junho, valor 19% superior ao resultado negativo de maio, de US$ 41,98 bilhões (revisado). O total foi pior que o projetado por analistas, que esperavam déficit comercial de cerca de US$ 42,5 bilhões para o mês.

As exportações dos Estados Unidos somaram US$ 150,45 bilhões, abaixo dos US$ 152,44 bilhões vistos em maio. As importações, por outro lado, cresceram de US$ 194,42 bilhões para US$ 200,35 bilhões nessa comparação.

No mercado acionário brasileiro, as chamadas "blue chips" pressionam o Ibovespa. Há pouco, os papéis PNA da Vale recuavam 2,06%, a R$ 42,70, enquanto as ações PN da Petrobras cediam 1,47%, a R$ 27,99.

Entre as poucas altas do Ibovespa, destaque para os papéis Brasil Ecodiesel ON (1,14%, a R$ 0,88), Brasil Foods ON (0,21%, a R$ 23,80) e Copel PNB (0,20%, a R$ 39,09).

Entre as principais baixas do índice estavam ações do setor de siderurgia e mineração, como MMX ON (-3,23%, a R$ 12,27), Gerdau PN (-2,88%, a R$ 25,25) e CSN ON (-2,87%, a R$ 29,35).

A Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) registrou lucro líquido de R$ 894 milhões no trimestre encerrado em junho, bem acima dos R$ 334,7 milhões apurados no mesmo período de 2009. Já a receita líquida subiu 55,4%, para R$ 3,87 bilhões.

Fora do Ibovespa, destaque negativo para os papéis ON da Estácio Participações, com recuo de 7,88%, a R$ 19,99.

A Estácio apurou lucro líquido de R$ 5,8 milhões no segundo trimestre deste ano, uma queda de 29,3% na comparação com o resultado do mesmo trimestre do ano passado. A receita operacional líquida, por sua vez, expandiu-se em 3,9%, ao totalizar R$ 258,2 milhões.

A rede de ensino e dois de seus acionistas ainda revelaram que pretendem fazer uma oferta pública primária e secundária de ações ordinárias da Estácio. O pedido da companhia e dos acionistas João Uchôa Cavalcanti Netto e Monique Uchôa Cavalcanti de Vasconcelos foi encaminhado hoje à Anbima.

Serão oferecidas 32.803.240 ações ordinárias já em poder dos vendedores. Caso haja demanda pelo lote suplementar, a Estácio emitirá até 3.280.324 papéis para serem colocados nas mesmas condições. Nesse caso, serão vendidas ao todo pouco mais de 36 milhões de ações ordinárias.
No mercado cambial, o dólar se aprecia sobre as principais divisas mundiais. No Brasil, há pouco, a moeda americana subia 0,62%, cotada a R$ 1,769 na venda. Na BM & F, o dólar futuro avançava 0,82%, a R$ 1,7765.

(Beatriz Cutait | Valor)
Hospedagem: UOL Host