UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

11/08/2010 - 10h36

Vendas de automóveis têm primeira queda desde julho de 2009, diz IBGE

RIO - O volume de vendas de automóveis mostrou em junho a primeira queda desde o recuo de 5% em julho de 2009, na comparação com igual mês do ano anterior.

Para o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a retração é fruto não apenas dos efeitos do fim da redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) no setor, mas também é reflexo do intenso volume de vendas nos últimos 12 meses.

No geral, o volume de vendas do comércio subiu 11,3% em relação a junho do ano passado, enquanto o comércio varejista ampliado, que inclui automóveis e material de construção, subiu 3,4%.

"Não é só IPI, também me parece fruto de demanda. Haja consumidor para comprar carro. Parece que agora arrefeceu um pouco", disse Reinaldo Pereira, economista da coordenação de serviços e comércio do IBGE.

Em junho, o volume de vendas de veículos e motos, partes e peças caiu 9,5%, e demonstrou, segundo Pereira o fim dos estoques e promoções decorrentes da desoneração fiscal dada pelo governo no auge da crise.

Em março, último mês com a desoneração, o volume de vendas do setor subiu 32,7%, seguido por altas de 17,1% em abril e 6,7% em maio.

Para o economista do IBGE, os resultados de abril e maio foram puxados justamente pela redução de estoques adquiridos com o IPI mais baixo.

Uma surpresa, segundo Pereira, foi o resultado negativo da construção civil na série com ajuste sazonal. A queda do volume de vendas de 3,1% no setor entre maio e junho foi vista por Pereira como uma acomodação que não pode ser vista como tendência.

"Não teve retirada de IPI para construção. O dado foi surpreendente. Mas não vejo motivo para uma queda tão grande no material de construção", frisou Pereira. "Pode ser início de desaquecimento, mas não tem como configurar isso, tem que esperar mais dados das próximas pesquisas", acrescentou.

(Rafael Rosas | Valor)

Hospedagem: UOL Host