UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

16/08/2010 - 15h14

Com queda na inadimplência, BB reduz expectativa de provisão

SÃO PAULO - Acreditando na queda progressiva das taxas de inadimplência, o Banco do Brasil (BB) reduziu suas projeções para a provisão para créditos de liquidação duvidosa (PCLD) para este ano, que apontam agora para o intervalo de 4% a 4,4%. O intervalo anteriormente estimado pela instituição marcava de 4,4% a 4,8%.

No primeiro semestre deste ano, as despesas com as provisões somaram R$ 2,9 bilhões, uma queda de 9,5% frente ao registrado no mesmo período do ano passado. Segundo afirmaram hoje os executivos do banco, em evento para a divulgação dos resultados, os índices de inadimplência têm sido consecutivamente reduzidos e já se aproximam dos patamares anteriores à crise.

"A inadimplência está caindo diante da prudência da concessão de crédito do banco e do nosso foco na concessão para produtos como consignado e veículos", afirmou o vice-presidente de finanças Ivan Monteiro.

A mudança no mix da carteira do banco para produtos de menor risco, como citou o executivo, é um dos focos estratégicos da companhia para a redução da inadimplência. Entre abril e junho, o crédito consignado alcançou R$ 40,5 bilhões, sendo que no segundo trimestre do ano passado, somava R$ 29,5 bilhões. Já o financiamento a veículos - que ganhou impulso com a parceria com Grupo Votorantim - saiu de R$ 8,2 bilhões para R$ 22,8 bilhões.
Em seu balanço, o BB mostrou que, no total, as operações vencidas há mais de 90 dias atingiram 2,7% da carteira de crédito no segundo trimestre, uma melhora de 0,4 ponto percentual no trimestre e de 0,6 ponto percentual em relação a junho do ano passado. Para a pessoa física, a inadimplência atingiu 4,1%, enquanto para a jurídica, 2,4%. Em março, essas taxas eram de 4,4% e 2,6%, respectivamente.

(Vanessa Dezem | Valor)
Hospedagem: UOL Host